Floresta Nacional de Ipanema

A  Flona de Ipanema é uma reserva de cinco mil hectares de mata atlântica, administrada pelo Instituto Chico Mendes de conservação da biodiversidade.
É um Parque diferente. Em 5.000 hectares abriga reserva ecológica, fazenda e prédios históricos.
Existem três trilhas:

Read More

Inevitável não citar a vizinha “glamourosa” Campos do Jordão quando falamos em Sto. Antonio do Pinhal, mas a descrição perfeita, copio aqui do Guia Quatro Rodas :…”Pode não exibir a arquitetura alpina da vizinha Campos do Jordão, mas tem o mesmo frio, a mesma névoa, o mesmo verde. É lugar para entocar-se em pousadas aconchegantes, admirar montanhas e comer truta a valer. Passeios ecológicos substituem a badalação, as cachaças são mais famosas que os chocolates, a sorveteria da esquina vende delícias com leite da fazenda”…

A nova alça de acesso da Rodovia SP 123 facilitou o acesso à cidade. Read More

Dia 13-11/01/11- 3ª feira- Punta Arenas- Puerto Natales- El Calafate
Depois do café, saímos de Punta Arenas para Puerto Natales no Buses Fernandes (só atravessar a rua, praticamente) às 9:00 hs, debaixo de frio e uma chuva fininha.
Chegamos a Puerto Natales por volta das 13:00 hs. Passamos no Nikkos para pegar nosso equipamento de acampamento deixado lá e levamos até a agência de viagens. Read More

Dia 11-09/01/11- domingo- Puerto Natales- Punta Arenas

Café bem simples no hostel. Café, chá, pão, manteiga, geléia, suco de laranja e iogurte. Pegamos o ônibus às 10:00 hs e combinamos de deixar todo o equipamento de camping, que não iríamos utilizar no hostel para pegar na volta, no dia 11/01.

Read More

Dia 10-08/01/11- sábado- Chileno- Hosteria Las Torres-Puerto Natales

Café da manhã, o mesmo que o anterior , mas sem o mingau de aveia e geléia no lugar de doce de leite.
Saída do acampamento por volta das 10:00 hs. Conforme o previsto no mapa do Parque, realmente a descida foi feita em 2 horas, considerando até que estávamos com carga, a descida foi muito tranqüila.
Legal foi ver também a comemoração de cada trilheiro que chegava, normalmente era recebido com uma salva de palmas por aqueles que estavam esperando o ônibus, e também a comemoração dos grupos que chegavam, comemorando o circuito W realizado, e nos parabenizamos, quietinhos, e principalmente, nossa filha valente. Read More

Travessia Acampamento Los Cuernos – Acampamento Chileno e Mirador Torres

Final do Circuito W
Dia 08- 06/01/11- 5ª feira- Cuernos- Chileno

Saímos dos Cuernos, por volta das 9:30 hs. Tomamos sopa de café da manhã, para ver se conseguiríamos mais “força” para a travessia, de aproximadamente 16 km. Só de saber a distância, já dava um cansaço antes do tempo.
A primeira parte do percurso é subida, cansa bastante; no meio do caminho dá uma suavizada, com descidas e partes retas, onde eu e a Júlia conseguíamos um rendimento melhor. A mochila estava um pouco menos pesada, pois havíamos consumido boa parte dos mantimentos e também adotamos a estratégia de colocar o sleeping da Júlia, por dentro da mochila, dando uma estabilidade maior, além das roupas sujas serem carregadas pelo João.

Read More

Travessia Acampamento Paine Grande até Acampamento Los Cuernos

 Meio do Circuito W

Dia 6- 04/01/11- 3ª feira- Pehoe- Cuernos

Um visual lindo, mas a mochila pesava muito, cansamos bastante, tivemos que fazer várias paradas para descansar, o vento foi aumentando, a Júlia não agüentou toda a bagagem e acabou passando para o João o sleeping dela.

Resultado: conseguimos chegar no Italiano somente lá pelas 16:00 hs,detalhe, a caminhada de acordo com o mapa do Parque fala em 2,5 h, exaustos, e ainda sabíamos que tínhamos que chegar ao Cuernos. Na verdade, acabamos optando por ir até o Cuernos por causa de alguns relatos, onde diziam que, o acampamento tinha sido fechado por causa de muita m… espalhada, por não existir banheiro, ser um acampamento selvagem, etc. Read More

Dia 4- 02/01/11- domingo- transfer para Torres Del paine

Começo do Circuito W no Parque Torres Del Paine. Estudamos em vários roteiros, de muitos blogs e sites relacionados (Mochileiros,  dos amigos de blog, Carla e Élio   e fizemos a opção por este formato de roteiro, principalmente por estarmos com uma criança, de 11 anos (quase 12 anos) e também por não sabermos se iríamos aguentar o tranco, considerando que não estávamos (pelo menos eu) com um condicionamento físico assim, uma Brastemp, além do fato do joelho dar sinais de vida novamente (ou da ausência dela, rsrsrs).
Fizemos o roteiro em 6 dias de acampamento, quando o normal é entre 4 e 5 dias no máximo. Desta forma, teríamos um dia para caminhar com a mochila cargueira, mais pesada,armar acampamento e tal, no dia seguinte, visitar o destino daquele acampamento, de mochilinha e quando voltássemos, o acampamento armado, seria jantar e descansar “somente”…

Read More