Alimentação Saudável

Falar em alimentação saudável hoje em dia chega a ser um lugar comum.

Todo mundo tem a teoria e sabe o que deve ser feito, mas quem consegue trazer isso para a rotina diária?

Junto com os exercícios físicos a alimentação equilibrada é primordial a fim de buscar uma vida mais saudável.

Assim como nos exercícios, a alimentação saudável tem muitos mitos e verdades bem como os diversos entendedores sem terem estudo ou formação o suficiente para uma orientação correta.

O que significa alimentação saudável?

“Alimentação saudável é o mesmo que dieta equilibrada ou balanceada e pode ser resumida por três princípios: variedade, moderação e equilíbrio:

■ Variedade: é importante comer diferentes tipos de alimentos pertencentes aos diversos grupos; a qualidade dos alimentos tem que ser observada. 

■ Moderação: não se deve comer nem mais nem menos do que o organismo precisa; é importante estar atento à quantidade certa de alimentos. 

■ Equilíbrio: quantidade e qualidade são importantes; o ideal é consumir alimentos variados, respeitando as quantidades de porções recomendadas para cada grupo de alimentos. Ou seja, “comer de tudo um pouco”. 

Segundo a OPAS (Organização Pan Americana da Saúde) e a OMS (Organização Mundial da Saúde) 

  • A alimentação não saudável e a falta de atividade física são os principais riscos globais para a saúde.
  • A ingestão calórica deve estar em equilíbrio com o gasto calórico. Para evitar um ganho de peso não saudável, as gorduras não devem exceder 30% da ingestão calórica total.
  • As gorduras saturadas devem representar menos de 10% da ingestão calórica total. O consumo de gorduras trans, por sua vez, deve ser inferior a 1% do consumo total. Para isso ser possível, o consumo de gorduras deveria ser modificado para reduzir as gorduras saturadas e trans para gorduras insaturadas, com o objetivo de eliminar a gordura trans produzida industrialmente.
  • Limitar o consumo de açúcares livres para menos de 10% da ingestão calórica total faz parte de uma alimentação saudável. Uma redução adicional para menos de 5% é sugerida para benefícios adicionais à saúde.
  • Manter o consumo diário de sal abaixo de 5g (o equivalente a menos de 2g de sódio) ajuda a prevenir a hipertensão e reduz o risco de doença cardiovascular e AVC entre a população adulta.
  • Os Estados Membros da OMS concordaram em reduzir a ingestão de sal da população mundial em 30% até 2025. Também concordaram em deter o aumento do diabetes e da obesidade entre adultos e adolescentes, bem como o sobrepeso durante a infância até 2025.

O aumento da alimentação inadequada, com o consumo de alimentos ricos em calorias,gorduras, açúcares livres e sal/sódio em combinação com o sedentarismo tem aumentado as estatísticas das doenças como hipertensão, diabetes, obesidade mórbida entre outras.

 A pandemia contínua de obesidade afeta a população mundial com efeitos igualmente devastadores da pandemia de COVID 19. Seu impacto no desenvolvimento de comorbidades e consequentemente, seu efeito na expectativa de vida, é tão devastador quanto qualquer pandemia infecciosa

Ratificando a informação acima, a  WGO (World Gastroenterology Organisation) em parceria com a International Federation for the Surgery of Obesity and Metabolic Disorders, o ano de 2021 foi marcado com o tema:  Obesidade: uma pandemia contínua

A motivação por uma alimentação mais saudável normalmente chega com o alerta de uma patologia existente por meio de exames laboratoriais  ou que começa a se apresentar com sinais e sintomas.

Prato de Seitan, no Subte Vegan, um restaurante vegano que descobrimos no centro de São Paulo

Assim foi no nosso caso familiar e certamente deve ocorrer com todas as pessoas.

Começamos uma dieta restritiva de farinha branca e açúcar branco em meados de 2014 e seguimos desde então.

Este ano os exames médicos feitos após este período de quarentena e de “home office” forçado trouxeram a impactante notícia de colesterol elevado e suas consequências.

Na busca por alimentação saudável, procuramos em seguida, alguma dieta factível. E encontramos as coisas mais estapafúrdias possíveis.

De dietas cetogênicas a paleolíticas, jejum intermitente, low carb, sem glúten, dieta da lua, do sol, da chuva… são tantas e tão variadas e tão sem sentido que algumas acabam virando uma piada pronta. 

Dietas milagrosas e sem nenhum embasamento técnico que se feitas sem orientação certamente farão mais mal para sua saúde do que bem. 

E coitado de você se fizer a descrição errada, ou citar a dieta “A” em lugar da “B” na tribo rival. 

 Vai atrair milhares de “haters pelos seguidores da mais recente dieta da moda. E de toda legião de seguidores. 

A alimentação saudável, assim como a busca para um equilíbrio geral na sua vida só acontece depois de muito esforço, condicionamento e perseverança.

A busca por uma alimentação saudável e equilibrada deve começar com a consulta a um técnico na área para uma orientação correta e científica adequada ao seu próprio organismo.

Importante salientar que para o sucesso deste feito, é necessário uma nova adaptação para que as orientações sigam o mais perto da sua rotina.

Desta forma, os efeitos dos benefícios de uma alimentação mais saudável podem perdurar  por mais tempo, decerto a vida toda. 

Tem sido uma batalha todo dia fechar os olhos para as guloseimas, o chocolate, as gorduras hidrogenadas e frituras, que a gente adora em casa.  

Mas que esperamos que ao longo dos meses resulte numa melhora dos quadros de colesterol e por consequência, da saúde no geral.

Para mais informações: 

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/alimentacao_saudavel.pdf

https://www.paho.org/pt/topicos/alimentacao-saudavel

https://bvsms.saude.gov.br/obesidade-uma-pandemia-continua-29-5-dia-mundial-da-saude-digestiva/

One Comment on “Alimentação Saudável

  1. Pingback: Retrospectiva 2021 - Os caminhantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.