A Síndrome do Impostor

#crônicas

Hoje comentei com um velho amigo (acho que é um dos amigos mais antigos que tenho e nos reencontramos este ano, depois de muitos “quase” encontros pela vida) da minha grande sensação de fracasso… ou daquela sensação de “poderia ter feito mais”… ou pior ainda… “poderia ter feito melhor” que é a pior das sensações… daí pensei em compartilhar mais uma das síndromes que rondam a que vos fala  por aqui…

A síndrome do impostor seria “”uma crença interior de que você não é bom o suficiente, ou não pertence”. “As vítimas da síndrome são pessoas que jamais creditam seu sucesso à inteligência, competência ou habilidade pessoal. “Elas se convencem de que os elogios e reconhecimento de outros em relação à sua conquista não são merecidos, atribuindo suas realizações à sorte, a algum encanto repentino, contatos ou outros fatores externos”, explica a psicóloga americana Valerie Young, autora do livro “Os pensamentos secretos das mulheres de sucesso”. Soma-se a isso a sensação de que, a qualquer momento, a sua incompetência será descoberta. Pronto, está aí o pacote completo para a identificação da baixa autoestima profissional. “Não importa o que tenha realizado ou o que as pessoas pensam, no fundo, você está convencido de que é um impostor, uma farsa, uma fraude”. Este resuminho eu tirei daqui ó

Alguns artigos para você ler a opinião dos especialistas: 

De novo, porque não sou conhecedora do assunto com profundidade. Nem um pouco…

https://medium.com/women-in-tech-not-just-code/how-im-trying-to-combat-my-impostor-syndrome-48f0b4deb58

https://www.medicina.ufmg.br/sera-que-sou-uma-fraude-conheca-a-sindrome-do-impostor/#:~:text=%E2%80%9CEu%20sou%20uma%20fraude%E2%80%9D,competentes%20do%20que%20realmente%20s%C3%A3o.

https://www.bbc.com/portuguese/curiosidades-46705305

Muito bem…. 

Dito isto, sempre vem aquelas desculpinhas rasas: é porque eu sou sagitariana, tenho tantos interesses que não consigo me focar em um objetivo só… é porque eu tenho muito tempo no mesmo trabalho, logo não tenho vontade de me aperfeiçoar porque meu salário não vai aumentar por causa disso…é porque já estou velha e cansada… e vai pela estrada afora….

Aquele velho papel de auto convencimento (ou da auto enganação???)

Aí chego em casa, cansada do calor que está fazendo esses dias (aquela história de um sol para cada um, sabe como é???), tomo uma ducha e me jogo no sofá para esfriar um pouco antes do segundo round do serviço de casa (se bem que isto está reduzido a índices beeeem menores com a Júlia em casa por conta da pandemia) e me deparo com uma postagem no Instagram da linda Laura Sette, sediada atualmente na fria e distante Copenhage, na Noruega, do blog bacanudo 7 Cantos do Mundo .

Essa menina (no sentido mais carinhoso da palavra), além de linda (já falei…), 33 aninhos, além de ter feito um monte de coisas na vida (que copio e colo aqui embaixo), foi conhecida aqui em casa por ter sido a parceira do Elias Luiz, do Portal Extremos para fazer a trilha de Kungsleden . Depois de ler o livro, fui procurar a parceira dele e descobri que já a seguia nas mídias sociais. Aquela coisa que coincidências não existem…

Ah!!!  O post da Laura é esse aqui:

Já fui monitora de acampamento. Já fui operadora de brinquedo da Disney. Já fiz bico em evento, como bartender, como babá. Já fui voluntária na cozinha, em hostel e em um retiro espiritual. Já trabalhei em laboratório na universidade – na minha cidade e em outro país. Já trabalhei em escritório em multinacional. Já fui freelancer de redação, de sites e mídias sociais. Já criei meu projeto pessoal (blog de viagem) e trabalhei duro nele até que ele me desse retorno financeiro. Já tive um protótipo de uma startup. Já vendi roteiros de viagem, meus e de terceiros. Já criei meu próprio negócio com Walking Tour em outro país. Já trabalhei em uma empresa de turismo em outro país. Já trabalhei em uma sorveteria vegana em outro país. Já dei aula de português para estrangeiro (tá, isso ainda não aconteceu, mas vai daqui a pouquinho, é meu novo bico hihi).⠀⠀⠀

Como eu ouso pensar/dizer que não tenho experiência ou habilidades suficientes?? 😵

“Só” porque não fiz pós-graduação, MBA e o diabo a quatro? E os mil cursos independentes (#compredopequeno ) que eu já fiz? E os mil livros que já li? E tudo o que eu aprendi com a mão na massa e desafios reais?⠀⠀⠀⠀⠀

Quer saber? FODA-SE que eu não tenho uma profissão definida!

Isso é mais uma auto nota mental 💭, para sempre que eu me vir em uma síndrome do impostor, que minha mente sabotadora me disser que eu não consigo, que eu tiver medo do futuro ou me bater uma dúvida sobre capacidade de reinvenção e adaptação, eu possa lembrar de tudo que já fiz. Que sou multipotencial real!⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Que preguiça eu não tenho, disposição não me falta e criatividade e habilidades eu tenho de sobra!⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Se tem uma lição que tiro disso tudo é: sempre dê o seu melhor. Não importa que trabalho você esteja fazendo. Todo trabalho é digno. SEMPRE DÊ O SEU FUCKING MELHOR!

Essa é a chave.⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Com o perdão da finesse do linguajar, estou na TPM so I don’t fucking care! 🌻⠀⠀⠀⠀⠀⠀

[arraste para o lado para ver umas Lauras do passado em situações talvez nunca antes imaginadas por você 😅]”

É ou não é um tapa na cara, ou um baita acorda, sacode a poeira e dá a volta por cima, vindo de uma menina (não no sentido pejorativo, mas de incentivo mesmo, caramba!!!!!).

Por isso vou colocar uma listinha dos ‘meus feitos” aqui embaixo, para eu mesma me lembrar e me dar uma bofetada quando estes pensamentos de mimimi começarem a rondar a mente, que na maioria das vezes é sim, muito cruel. Matador para não dizer…Paralisante … você me entendeu….

Pode pular esta parte final, porque são os MEUS feitos, mas sugiro que você faça a sua listinha (ou listona) de feitos para olhar de vez em quando e pensar:

‘CARA… EU SOU FODA!!!!! 

“Já fui guardinha de drogaria para que os “fregueses” não  enfiassem na sacola os produtos expostos no display, até poder ser promovida para balconista mesmo. Já fui costureira, arrematadeira, passadeira e overloquista. Já fiz serviço de ajudante de pedreiro. Faxineira sou todo final de semana..Já fui também supervisor das obras lá de casa, para desespero dos pedreiros contratados. Já fui o sub-chefe (do meu pai, da minha mãe e de vários chefes no trabalho). “Hand of the King” algumas vezes. Na responsabilidade mas também nas maiores broncas….Já fui chefe de seção de farmácia e respondi pelo serviço no município onde trabalho.Já fiz as compras de medicamentos para o município inteiro. Já supervisionei os serviços de mais de 15 unidades na minha área. Neste período ajudei a coordenar a abertura de alguns serviços. Abri novos serviços com ajuda e supervisão ou sem ajuda nenhuma. Já casei. Já tive uma filha. Já está praticamente criada.Resolvi enveredar em outras sendas e criei o blog com a cara e a coragem. E aprender e entender sobre todo este novo universo”. 

E ao mesmo tempo poder rir das maiores asneiras que você já fez. CARA, COMO EU POSSO SER TÃO ATRAPALHADA???? TÃO MANÉ???? Porque se tudo isso não for regado com uma boa dose de humildade faz o caldo desandar no final. 

Faltou (faltaram) muitas coisas… o mestrado, o doutorado… o MBA….a especialidade x, y, z… os cursos de pintura e afins que queria ter feito e não tive tempo nem dinheiro e seguem-se a lista das inúmeras coisas a fazer…. ainda….

 

Mas… o melhor que vem com a idade é essa sensação de serenidade e compreensão, principalmente (e mais importante!!!!) com a gente mesmo, que fizemos o que foi possível fazer com o conhecimento e a maturidade que possuíamos naquele momento. 

E isso está sendo suficiente por enquanto. 

Que seja para você também!!!!

6 Comments on “A Síndrome do Impostor

  1. Mais um ótimo texto e reflexão. Você é foda mesmo!! Gosto muito de ler o que você escreve e sempre me ajuda em alguma coisa. Muitas vezes já me ajudou a viajar melhor. Em outras a refletir sobre a minha própria vida. Por isso agradeço!! Vou fazer a minha lista também…tô precisando também. Grande abraço!

    • Oi Keila!!!!
      Obrigada pela leitura e pelo comentário!!
      SOMOS TODAS FODÁSTICAS!!!!!! rsrrsrs
      E o melhor de tudo!! As mais modestas né…..kkkkkk
      Maaaasss… de verdade, a postagem da Laura Sette no Instagram me deu um UP que eu estava precisando mesmo.
      E decidi compartilhar essa corrente, essa espiral de ascenção nestes tempos difíceis!

      Grande beijo!!!
      Marcia

  2. Adorei seu texto, e como se estivesse na sua cozinha comendo a torta de limão do João… adoro essa sensação de proximidade. Sem conta na carapuça , que desceu até o pé.
    Pra refletir sem duvida. Grata!😘😘

    • Oi Soninha!!!
      Obrigada pela leitura!!!
      Obrigada pelo seu comentário também!! Acho que todos passamos por essa sensação vez ou outra (ou, de vez em sempre…rsrsrs….)
      Por isso decidi também compartilhar dessa sensação e dessa listinha, para gente se dar um chega prá lá desses pensamentos e tocar a vida!!!
      Um grande beijo!!!!
      Marcia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *