Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Núcleo Engordador- Pq. Estadual da Cantareira

Uma das entradas do Parque Estadual da Cantareira. 

Os outros Núcleos são o Cabuçu,https://oscaminhantes.com/2016/05/nucleo-cabucu.html  a Pedra Grande e o Águas Claras. 

Conhecido por ser a grande referência de área verde em plena cidade de São Paulo, abriga também grandes clichês, como um oásis verde na cidade de pedra e cinzenta, quase ninguém imagina encontrar tanto verde em plena São Paulo, etc, etc, etc….

Afora os clichês odiosos todos reunidos aqui, sim, tudo isso é verdade.

E quando precisamos ver e sentir um  pouco do verde é uma ótima pedida.

Voltamos ao Parque depois de quase 15 anos e *spoiler, foi uma boa surpresa.

A parte ainda, das piadinhas prontas do nome do Núcleo, que recebe este nome de Engordador porque existia no final do século XVII e XVIII uma fazenda, onde era realizada a engorda do gado que vinha do interior para ser comercializado na capital paulista.

 Outra versão vem do fato da concentração de rios e riachos da região, que “engordavam” o rio que leva o nome do Núcleo.

Possui duas trilhas, a Trilha da Cachoeira e a Trilha do Macuco. 

Tem a Casa de Bomba, áreas de pic nic bem distribuídos, sanitários e play ground. 

Casa da bomba

Para maiores detalhes leia este artigo aqui: 

http://www.ecoturismobrasil.com.br/serra_da_cantareira_casa_da_bomba.htm

A Casa da Bomba é um museu que conta a história do sistema de abastecimento de água de São Paulo.

Em 1896 foi iniciada a construção, que abrigou a caldeira alemã e a bomba Robey (1898), movida a vapor. .

Tudo foi transportado em carro de boi desde a estação de trem Cantareira.  A obra só foi concluída em 1903, sendo inaugurada em 1904, pela então empresa responsável, a RAE (Repartição de Água e Esgoto). 

 A Casa da Bomba é tombada pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico). 

Construção em formato retângulo, com aproximadamente 4 metros de altura,com tijolos à vista. Uma porta de ferro à frente. Está dentro de um ambiente com pé direito alto, cerca de 15 metros de altura.

Sala da caldeira, na Casa de Bombas, no Núcleo Engordador- Pq. Estadual da Cantareira- SP

Sala da Caldeira

Para seu funcionamento, uma pequena parte da água da represa era enviada para um reservatório existente sobre o forno da caldeira. 

O funcionamento da Casa de Bomba estendeu-se até 1949, quando houve uma grande explosão na caldeira. Rachaduras podem ser observadas na parte do forno e em suas paredes laterais. 

Eram consumidos 3 m3 de carvão e 12 m3 de madeira diariamente. Durante a Primeira Guerra Mundial o consumo de madeira aumentou já que não havia carvão disponível. Uma curiosidade é que os funcionários trabalhavam com chinelos de madeira para não queimarem os pés no chão quente da Casa da bomba. Era comum que os mesmos sofressem de reumatismo e tuberculose devido ao constante choque térmico sofrido ao entrar da Casa de Bomba e na saída, para a área arborizada e fria. 

Maquinário grande, em ferro preto. No primeiro plano uma grande bomba e mais para frente, grandes rodas com pistões. Está abrigado em sala com pé direito alto, cerca de 15 metros de altura.

Sala da bomba a vapor. Núcleo Engordador- Pq. Estadual da Cantareira- SP

Sala da Bomba a Vapor

Seu funcionamento é semelhante ao de um trem a vapor. Através da pressão produzida pela caldeira, os pistões se movimentavam, bombeando água para um reservatório existente no alto da serra, que depois seguia para a cidade pela ação da força da gravidade. 

A população da cidade foi crescendo e a necessidade de água tornou-se cada vez maior. A alternativa foi a ampliação da Casa de Bomba, com a construção de uma terceira sala para abrigar uma segunda bomba. 

Bomba a diesel 

A segunda bomba colocada em funcionamento foi um motor de navio alemão, movido a diesel, que foi adaptado para o bombeamento de água, com a mesma capacidade da bomba inglesa, só que com um consumo menor de combustível. 

Após a sobrecarga e a explosão da caldeira em 1949, a Casa de Bomba foi desativada. O reservatório também já era pequeno para atender a demanda de água da cidade de São Paulo. 

Maquete representando a Serra da Cantareira e com identificação dos pontos de acesso ao Parque Estadual.

Centro de Visitantes

Uma área onde você pode visualizar em uma maquete toda a Serra da Cantareira com os núcleos disponíveis para visitação. 

Não gostamos muito, mas também alguns animais empalhados, mostrando a biodiversidade da mata atlântica. 

Trilhas

Trilha da Cachoeira

Tem 3,0 km e é circular (daquelas que começa num ponto e termina em outro). Com pouca diferença de altimetria, é uma caminhada considerada de nível médio, mas é tranquila. As subidas não são tão extensas e puxadas e as descidas igualmente não tão íngremes. 

E tem a própria diversidade da trilha. 

Cachoeira pequena, cerca de 5~7 metros de altura. Um pequeno poço na sua base. Atrás árvores altas e vegetação densa.

Cachoeira do Tombo. Núcleo Engordador. Pq. Estadual da Cantareira- SP

Encontramos a Cachoeira do Tombo mais ou menos no meio da trilha, que forma um pequeno poço, suficiente para refrescar da caminhadinha, com aproximadamente 5~7 metros de queda. 

Saindo da cachoeira, e continuando subindo pela trilha, encontramos no ponto mais alto da trilha um “tanque de captação”. Segundo a plaquinha: 

…”No início do século XIX começava a surgir uma grande metrópole na cidade de São Paulo, sendo importante levar água para todas as regiões. A Serra da Cantareira foi considerada para o primeiro sistema de abastecimento, pois a água era considerada de boa qualidade, devido a localização em zonas pouco povoadas, cobertas de mata virgem com baixo risco de transmissão de doenças. Em 1893 foram construídos tanques de captação de água da chuva e de nascentes que mandavam água até um ponto da cidade”.

Pessoa caminha no meio de uma trilha plana. com árvores altas nos dois lados. A luz do sol passa por entre as folhas das árvores, iluminando o lado direito da trilha.

Um pedaço da trilha no Núcleo Engordador. Pq. Estadual da Cantareira. SP

Continuamos caminhando pela trilha arborizada e sombreada, com o curso d’água nos acompanhando por um bom trajeto, do lado direito da trilha.

Pequeno fio de água de cerca de 3 metros cai por entre uma grande rocha escura e forma um pequeno poço na base. A cachoeira é vista de cima.

Cachoeira do Véu. Pq. Estadual da Cantareira. SP

Mais abaixo, encontramos outra pequena cachoeira (a Cachoeira do Véu), menor que a primeira, com a queda d’água mais estreita e o poço também menor, mas ainda assim, vale mais uma refrescada.

Área gramada, ensolarada e aberta. À esquerda, mesa com cadeiras em baixo de uma árvore. Ao centro da foto, pessoas sentadas sobre o gramado. Ao fundo, árvores altas .

Área de pic nic no Núcleo Engordador. Pq. Estadual da Cantareira. SP

Terminamos a trilha, fomos para a área do pic nic onde um grande grupo de excursão já havia tomado todos os pontos que pegavam sol. Estava um dia bem gelado, nesta visita. 

Nós não conseguimos o nosso lugar ao sol e ficamos na sombra mesmo, mas igualmente agradável. 

Explore a área do pic nic, mais abaixo da área principal, atrás da Casa de Bombas, existe uma área para pic- nic também, mais reservada, com água vindo da represa formando pequenas corredeiras e quedas d’águas, compondo um cenário bem agradável para você passar o dia. 

Trilha do Macuco

Não fizemos esta trilha, mas você pode ter informações aqui, do blog Quatro Cantos do Mundo: 

https://quatrocantosdomundo.wordpress.com/2013/05/26/muito-verde-e-diversao-a-poucos-minutos-de-sao-paulo-serra-da-cantareira-nucleo-do-engordador/

Para quando você for

Importante: esteja com a vacina da febre amarela em dia!!!

Entrada:

R$ 15,00. Crianças abaixo de 12 e maiores de 60 anos não pagam. Estudantes pagam meia entrada.

Horário de funcionamento: 

O Parque é aberto à visitação pública aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 17h. Não abre para visitação se estiver chovendo. 

Telefone:

(11) 2203-0115.

Estacionamento:

Gratuito

Estrutura

Sanitários e área para pic nic.

Não há lanchonetes e restaurantes

Como Chegar

Do metrô Tucuruvi, pega o ônibus Cachoeira 2023-10

Do metrô Santana, pegue o ônibus Cachoeira. 1783-29

Peça para descer o mais próximo do parque.  Dá para ir caminhando.

De carro:

Rodovia Fernão Dias SP- sentido Belo Horizonte, pegar a saída 79 à direita, passe as indicações do Clube Aquático Plêiades, e siga as indicações da saída para a Avenida Sezefredo Fagundes. Suba o viaduto à direita. 

Tem uma placa indicando Núcleo do Engordador. Siga por mais alguns metros e verá outra placa indicando o local à sua esquerda. Siga por uns 300 metros até a entrada do parque.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *