Núcleo Engordador- Pq. Estadual da Cantareira

Uma das entradas do Parque Estadual da Cantareira. 

Os outros Núcleos são o Cabuçu,https://oscaminhantes.com/2016/05/nucleo-cabucu.html  a Pedra Grande e o Águas Claras. 

Conhecido por ser a grande referência de área verde em plena cidade de São Paulo, abriga também grandes clichês, como um oásis verde na cidade de pedra e cinzenta, quase ninguém imagina encontrar tanto verde em plena São Paulo, etc, etc, etc….

Afora os clichês odiosos todos reunidos aqui, sim, tudo isso é verdade.

E quando precisamos ver e sentir um  pouco do verde é uma ótima pedida.

Voltamos ao Parque depois de quase 15 anos e *spoiler, foi uma boa surpresa.

A parte ainda, das piadinhas prontas do nome do Núcleo, que recebe este nome de Engordador porque existia no final do século XVII e XVIII uma fazenda, onde era realizada a engorda do gado que vinha do interior para ser comercializado na capital paulista.

 Outra versão vem do fato da concentração de rios e riachos da região, que “engordavam” o rio que leva o nome do Núcleo.

Possui duas trilhas, a Trilha da Cachoeira e a Trilha do Macuco. 

Tem a Casa de Bomba, áreas de pic nic bem distribuídos, sanitários e play ground. 

Casa da bomba

Para maiores detalhes leia este artigo aqui: 

http://www.ecoturismobrasil.com.br/serra_da_cantareira_casa_da_bomba.htm

A Casa da Bomba é um museu que conta a história do sistema de abastecimento de água de São Paulo.

Em 1896 foi iniciada a construção, que abrigou a caldeira alemã e a bomba Robey (1898), movida a vapor. .

Tudo foi transportado em carro de boi desde a estação de trem Cantareira.  A obra só foi concluída em 1903, sendo inaugurada em 1904, pela então empresa responsável, a RAE (Repartição de Água e Esgoto). 

 A Casa da Bomba é tombada pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico). 

Construção em formato retângulo, com aproximadamente 4 metros de altura,com tijolos à vista. Uma porta de ferro à frente. Está dentro de um ambiente com pé direito alto, cerca de 15 metros de altura.

Sala da caldeira, na Casa de Bombas, no Núcleo Engordador- Pq. Estadual da Cantareira- SP

Sala da Caldeira

Para seu funcionamento, uma pequena parte da água da represa era enviada para um reservatório existente sobre o forno da caldeira. 

O funcionamento da Casa de Bomba estendeu-se até 1949, quando houve uma grande explosão na caldeira. Rachaduras podem ser observadas na parte do forno e em suas paredes laterais. 

Eram consumidos 3 m3 de carvão e 12 m3 de madeira diariamente. Durante a Primeira Guerra Mundial o consumo de madeira aumentou já que não havia carvão disponível. Uma curiosidade é que os funcionários trabalhavam com chinelos de madeira para não queimarem os pés no chão quente da Casa da bomba. Era comum que os mesmos sofressem de reumatismo e tuberculose devido ao constante choque térmico sofrido ao entrar da Casa de Bomba e na saída, para a área arborizada e fria. 

Maquinário grande, em ferro preto. No primeiro plano uma grande bomba e mais para frente, grandes rodas com pistões. Está abrigado em sala com pé direito alto, cerca de 15 metros de altura.

Sala da bomba a vapor. Núcleo Engordador- Pq. Estadual da Cantareira- SP

Sala da Bomba a Vapor

Seu funcionamento é semelhante ao de um trem a vapor. Através da pressão produzida pela caldeira, os pistões se movimentavam, bombeando água para um reservatório existente no alto da serra, que depois seguia para a cidade pela ação da força da gravidade. 

A população da cidade foi crescendo e a necessidade de água tornou-se cada vez maior. A alternativa foi a ampliação da Casa de Bomba, com a construção de uma terceira sala para abrigar uma segunda bomba. 

⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸⇸

   Planeje sua viagem com a gente

   -Reserve sua hospedagem no Booking  

   -Reserve seu seguro viagem na Seguros Promo 

   -Alugue seu carro com a Rental Cars

⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷⇷

Bomba a diesel 

A segunda bomba colocada em funcionamento foi um motor de navio alemão, movido a diesel, que foi adaptado para o bombeamento de água, com a mesma capacidade da bomba inglesa, só que com um consumo menor de combustível. 

Após a sobrecarga e a explosão da caldeira em 1949, a Casa de Bomba foi desativada. O reservatório também já era pequeno para atender a demanda de água da cidade de São Paulo. 

Maquete representando a Serra da Cantareira e com identificação dos pontos de acesso ao Parque Estadual.

Centro de Visitantes

Uma área onde você pode visualizar em uma maquete toda a Serra da Cantareira com os núcleos disponíveis para visitação. 

Não gostamos muito, mas também alguns animais empalhados, mostrando a biodiversidade da mata atlântica. 

Trilhas

Trilha da Cachoeira

Tem 3,0 km e é circular (daquelas que começa num ponto e termina em outro). Com pouca diferença de altimetria, é uma caminhada considerada de nível médio, mas é tranquila. As subidas não são tão extensas e puxadas e as descidas igualmente não tão íngremes. 

E tem a própria diversidade da trilha. 

Cachoeira pequena, cerca de 5~7 metros de altura. Um pequeno poço na sua base. Atrás árvores altas e vegetação densa.

Cachoeira do Tombo. Núcleo Engordador. Pq. Estadual da Cantareira- SP

Encontramos a Cachoeira do Tombo mais ou menos no meio da trilha, que forma um pequeno poço, suficiente para refrescar da caminhadinha, com aproximadamente 5~7 metros de queda. 

Saindo da cachoeira, e continuando subindo pela trilha, encontramos no ponto mais alto da trilha um “tanque de captação”. Segundo a plaquinha: 

…”No início do século XIX começava a surgir uma grande metrópole na cidade de São Paulo, sendo importante levar água para todas as regiões. A Serra da Cantareira foi considerada para o primeiro sistema de abastecimento, pois a água era considerada de boa qualidade, devido a localização em zonas pouco povoadas, cobertas de mata virgem com baixo risco de transmissão de doenças. Em 1893 foram construídos tanques de captação de água da chuva e de nascentes que mandavam água até um ponto da cidade”.

Pessoa caminha no meio de uma trilha plana. com árvores altas nos dois lados. A luz do sol passa por entre as folhas das árvores, iluminando o lado direito da trilha.

Um pedaço da trilha no Núcleo Engordador. Pq. Estadual da Cantareira. SP

Continuamos caminhando pela trilha arborizada e sombreada, com o curso d’água nos acompanhando por um bom trajeto, do lado direito da trilha.

Pequeno fio de água de cerca de 3 metros cai por entre uma grande rocha escura e forma um pequeno poço na base. A cachoeira é vista de cima.

Cachoeira do Véu. Pq. Estadual da Cantareira. SP

Mais abaixo, encontramos outra pequena cachoeira (a Cachoeira do Véu), menor que a primeira, com a queda d’água mais estreita e o poço também menor, mas ainda assim, vale mais uma refrescada.

Área gramada, ensolarada e aberta. À esquerda, mesa com cadeiras em baixo de uma árvore. Ao centro da foto, pessoas sentadas sobre o gramado. Ao fundo, árvores altas .

Área de pic nic no Núcleo Engordador. Pq. Estadual da Cantareira. SP

Terminamos a trilha, fomos para a área do pic nic onde um grande grupo de excursão já havia tomado todos os pontos que pegavam sol. Estava um dia bem gelado, nesta visita. 

Nós não conseguimos o nosso lugar ao sol e ficamos na sombra mesmo, mas igualmente agradável. 

Explore a área do pic nic, mais abaixo da área principal, atrás da Casa de Bombas, existe uma área para pic- nic também, mais reservada, com água vindo da represa formando pequenas corredeiras e quedas d’águas, compondo um cenário bem agradável para você passar o dia. 

Trilha do Macuco

Não fizemos esta trilha, mas você pode ter informações aqui, do blog Quatro Cantos do Mundo: 

https://quatrocantosdomundo.wordpress.com/2013/05/26/muito-verde-e-diversao-a-poucos-minutos-de-sao-paulo-serra-da-cantareira-nucleo-do-engordador/

Para quando você for

Importante: esteja com a vacina da febre amarela em dia!!!

Entrada:

R$ 15,00. Crianças abaixo de 12 e maiores de 60 anos não pagam. Estudantes pagam meia entrada.

Horário de funcionamento: 

O Parque é aberto à visitação pública aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 17h. Não abre para visitação se estiver chovendo. 

Telefone:

(11) 2203-0115.

Estacionamento:

Gratuito

Estrutura

Sanitários e área para pic nic.

Não há lanchonetes e restaurantes

Como Chegar

Do metrô Tucuruvi, pega o ônibus Cachoeira 2023-10

Do metrô Santana, pegue o ônibus Cachoeira. 1783-29

Peça para descer o mais próximo do parque.  Dá para ir caminhando.

De carro:

Rodovia Fernão Dias SP- sentido Belo Horizonte, pegar a saída 79 à direita, passe as indicações do Clube Aquático Plêiades, e siga as indicações da saída para a Avenida Sezefredo Fagundes. Suba o viaduto à direita. 

Tem uma placa indicando Núcleo do Engordador. Siga por mais alguns metros e verá outra placa indicando o local à sua esquerda. Siga por uns 300 metros até a entrada do parque.

Para você se insipirar e conhecer mais a cidade de São Paulo

Cultural

Teatro Municipal 

Galeria do Rock 

Cripta da Catedral da Sé

Compras

Rua José Paulino

Rua Santa Efigênia

Zona Cerealista (temos uma série especial só da Zona Cerealista)

Decathlon

Brechó Minha Avó Tinha

Studio Geek  

Brechó Capricho à Toa 

Parques

Núcleo Cabuçu 

Núcleo Engordador

Parque Burle Marx 

Parque Cândido Portinari 

Parque Trianon Masp

Pelezão 

Comer e beber

Na Liberdade

Udon Nakamura

Restaurante Sato

Doceira Alteza 

Momo Lamen

Na Lapa

A Cristal Sorveteria

Seu Rachid- Restaurante Árabe

Mercearia São Vito

Na Zona Oeste

La Buena Onda Mexican Food 

Gopala Restaurante Indiano 

Arimbá Restaurante

No Centro

Apfel Vegetariano 

Bar Amigo Leal 

Zona Sul

O Brazeiro Restaurante 

Guarulhos

Adega e Alambique Casteluche

2 Comments on “Núcleo Engordador- Pq. Estadual da Cantareira

  1. Pingback: Parques Estaduais (municipais e outros) em São Paulo - Os caminhantes

  2. Pingback: Adega e Alambique Casteluche - Os caminhantes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *