Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Brechó Minha Avó Tinha

#crônicas

Já falei aqui  e aqui  mas para diminuir a onda consumista, a aquisição de vestuário em brechós é uma ótima pedida.

Além da economia, é um grande incentivo para a mudança de visual, adotar um novo estilo e brincar com variações e combinações.

Muito do preconceito antigo ainda perdura, mas o conceito do brechó já se espalhou e hoje em dia virou o “novo chique”. Nunca, as regras dos 5 “r”s (repensar, reduzir, recusar, reutilizar e reciclar) estiveram tão em alta.

Este lugar é moda e é ícone muito antes dessas palavrinhas serem inventadas.

Entrada de uma casa. Manequins expostos à esquerda, com roupas antigas. e objetos antigos.  À direita, mais recuado, placa metálica com o nome da loja em cima de um portão com grades.

Entrada do Brechó Minha Avó Tinha

Estivemos uma vez na loja em Perdizes, numa passagem por lá o nome famoso chamou a atenção e fizemos uma visita rápida.

Qual não foi a surpresa ao nos deparar com a loja agora no nosso bairro, bem instalada num casarão de época, que só pela arquitetura e alguns detalhes já valem a visita.

Sou atendida pela simpática dona Bina, a proprietária,  logo na entrada, um pequeno cômodo faz as vezes de um balcão de atendimento e este corredor,que se estende até perder de vista, onde imagino que tenha sido a garagem do casarão, na época em que as pessoas guardavam o carro dentro de casa, praticamente, que me deixa à vontade para explorar o local.

À esquerda desse longo corredor, subo uma pequena escada de dois degraus..

Vitral em posição vertical. No centro, na parte inferior, a figura de uma fonte azul . Flores azuis (hortências) na parte de baixo da fonte.  Na parte superior, três pássaros sobrevoam a fonte, por nuvens azuis e brancas.

Vitral no hall de entrada da casa

Sob o vitral, a escadaria soberba, suntuosa, feita em madeira escura, trabalhada em todo o seu corrimão. Não sei distinguir os detalhes, como o tipo de madeira, nem a época da casa, mas percebo que é bem antiga.

Sobre a escada, um vitral impacta ainda mais a suntuosa entrada, deixando passar a luz colorida e suave.  Essa entrada impactante, seja pela luz que vem do vitral, seja pela impressão de quietude do lugar, mais o cheiro das coisas antigas, fazem todo o “clima” do lugar, dando aquela atmosfera antiga.

Passo a ver tudo com um filtro sépia, das fotos antigas. (Ou, pode ser o meu óculos que escurece à luz solar, voltando à tonalidade natural, em ambiente fechado. Mas eu quero acreditar que não).

Existem ainda neste hall, peças bem antigas, armários, guarda louças, tudo à venda também.

Do lado esquerdo desta sala, a dona alocou as peças de cristal, que dá até medo de chegar muito perto para não quebrar nada.Resquícios que não se perderão nunca de andar sempre com uma criança com a mão ligeira e os movimentos estabanados.

Bules diversos e açucareiro reluzente sobre bandeja igualmente reluzente sobre mesa de madeira escura. Ao fundo xícara sobre dois pires

Prataria exposta no Brechó Minha Avó Tinha

Passamos pelo hall novamente e para a sala à direita. Uma sala mais escura com peças de louças, porcelanas e prataria.

Continuando nesta sala, chegamos ao que deveria ser a antiga cozinha do casarão, pelos azulejos azuis do cômodo.

Prateleiras, com fruteiras, mais porcelanas,vasos, peças de várias nacionalidades (não sou especialista) mas identifico desenhos chineses, portugueses, gregos…

Saindo pela “cozinha” uma outra escadaria com aproximadamente 5 degraus nos leva à parte das peças de aluguel, separadas por tipos de peças. Uma infinidade de chapéus, bengalas, malas antigas…

Manequim com veste em xadrez, amarelo, verde e preto. Veste até a altura dos joelhos, com saída em corte na altura do cotovelo para a saída dos braços. Cachecol no tecido idêntico ao da veste ornamenta a cabeça do manequim

Uma das peças vintage do Brechó Minha Avó Tinha

A dona vai me contando, toda feliz e orgulhosa que várias equipes de produção de novelas/filmes/peças de teatro vêm à loja buscar peças de época.

Vestido longo em tecido de tapeçaria, em cores claras e motivos florais nas cores azul, amarelo, branco e rosa, formando drapeados na frente.

Um dos vestidos de tapeçaria do Brechó Minha Avó Tinha

Destaque aqui para a ala das décadas de 60 e 70 e também para os vestidos suntuosos que me remetem à filmes clássicos como “E o vento levou”, com vestidos em tapeçaria, que vinham do Oriente,  dignos de Scarlett O’Hara.

A piscina azul no fundo da casa é um refresco também para o olhar e mostra a suntuosidade da casa antiga.

Subo para o andar superior, onde estão os vestidos de festas femininos em uma sala e em outra de artigos masculinos.

Depois volto para o andar térreo e ela me encaminha para o subsolo.

Na escadaria uns exemplares de relógios cucos (acho que têm muita criança hoje em dia que não sabe o que é isso ao vivo) e lá em baixo, uma infinidade de eletrônicos antigos.

Duas prateleiras com rádios antigos enfileirados

Alguns exemplares dos rádios antigos no Brechó Minha Avó Tinha

Máquinas fotográficas, máquinas de escrever (!!!!), telefones, rádios, liquidificadores, batedeiras e até aquelas latas de biscoitos antigos estão lá.

Mesmo que não seja para você comprar nada, uma visita equivale à uma volta ao passado.

E deixo este post com as palavras da dona Bina:

“A verdadeira marca, o valor da marca vintage está no bom corte e no bom tecido. Isso é interminável, é eterno”

 

Para quando você for

Página

https://www.facebook.com/minhavotinha/

Endereço

Thomé de Souza, 100 – Lapa, São Paulo – SP, 05079-000


Horário:

-Segunda a sexta-feira: 09:00 às 18:30

-Sábado: 09:00 às 16:00

-Domingo: Fechado

 

Telefone

(11) 94349-9312

 

Aberta em 1992.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *