Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Retrospectiva 2017

#crônicas

Esse não é um post de retrospectivas de viagens, como também não foi o do ano passado. Não fizemos assim, tantas viagens sendo um blog de viagem, como manda o figurino… mas digo que vivemos grandes coisas e passamos por grandes mudanças, o que não deixa (de novo) de fazer parte dessa grande viagem que é a nossa vida…

Um ano de mudanças

No ninho:

Contei no ano passado que nos sacrificamos (todos) para o final do ensino médio e a tentativa de ingresso na faculdade da Júlia. Quando escrevi o ano passado, ainda não sabíamos a metade do que iríamos passar. Naquela ocasião, exatamente um ano atrás, ela só tinha passado num curso no Centro Oeste do país , em escola privada,  ainda não havia saído o resultado do ENEM e do SISU… duas siglas que a gente teve que estudar direitinho e acompanhar passo a passo. Quando estava tudo acertado, chegam o resultado das oito letrinhas (4:ENEM + 4: SISU) e com o resultado positivo, desfizemos tudo que havíamos feito e estruturado em dezembro e janeiro e corremos para reestruturar a vida dela agora no Nordeste.  (Até estou escrevendo um post para umas dicas sobre esse planejamento).

Sim… e estamos vivenciando a tão famosa síndrome do ninho vazio…

Nos nossos trabalhos

O Ogro conseguiu uma mudança de emprego em março, para mais longe, mas num ambiente um pouco melhor. Eu saí da minha última localização, onde estava há 7 anos para outro mais longe, em maio, ainda dentro do município de Guarulhos, mas mais afastado, 10 km para frente, quase divisa com o município de Arujá. Mas também num ambiente melhor. Posso dizer que muitas pessoas do meu convívio sofreram prá burro, doído, gente que estava no mesmo lugar há 20 anos. Não sei explicar porquê, mas comigo, os lugares por onde passo no meu trabalho têm ciclos de 7 anos (um número cabalístico, sei lá) e eu sabia no final do ano passado que o meu ciclo se findaria. E aconteceu mesmo. Como a gente costuma dizer aqui em casa, quando a gente não dá rumo na vida, a vida vem e resolve por ela mesma dar uma sacudida. E foi isso que aconteceu.

Na família

Meu sobrinho, (filho do irmão do João) foi acometido de uma série e ainda indefinida doença, que o deixou internado na UTI durante 5 meses, logo no 1º dia do ano, tendo alta somente em maio. Isso abalou toda a família, foram 5 longos meses de incertezas e revezamentos no acompanhamento do menino, mas isso acabou reforçando e reaproximando a família. O núcleo familiar, e principalmente ele, ainda lutam e estão se adaptando a nova realidade. O tempo, de novo ele, vai ter que curar e ensinar como passar por isso.

Nos amigos

Vimos amigos celebrando um casamento tão sonhado, acalentado há alguns anos (e nós acompanhamos tudo bem de pertinho). Estávamos no noivado surpresa subindo a Laguna de Los Tres, em El Chaltén , estávamos na ajuda da escolha até das alianças e também no casório, simples mas caloroso. E vimos aqui mais um começo de vida a dois.

Vimos amigos tendo filhos,um sonho e um desejo curtido por anos à fio. E quando decidiram pela adoção, veio o presente mais esperado, uma linda menininha.

Em novos olhares

Em fevereiro, fizemos uma viagem que já estava programada, para o nosso querido Parque Estadual de Intervales  que apesar de termos nos frustrado, também trouxe grandes alegrias em conhecer novos amigos que trouxeram um novo incentivo e significado para as nossas viagens. Caminhamos (e foi a primeira vez- nossa e dele) com um deficiente visual.

Em abril, recepcionando os visitantes no stand da ABBV- Associação Brasileira de Blogs de Viagens, na WTM Latin America, conheci o pessoal da cidade de Munhoz . Resolvemos visitar a cidade num feriado em abril, sem pretensão e sem maiores expectativas.

Mal sabíamos que nasceria a partir daí, novas amizades, novas propostas e tantas e tantas novas oportunidades e novos olhares, que mudariam as nossas vidas e daqueles que nos acompanham.

No meu lado B

O meu lado B, do blog, começado há 7 anos (olha o numerinho cabalístico aí de novo), parece que deu o ar da graça finalmente este ano. Não só este ano,como dizem, fez parte de um processo, mas parece que foi evidenciado em 2017. O encontro com gente legal, a intensificação do meu trabalho (na ABBV, porque o blog mesmo quase ficou abandonado), conhecer novos amigos, abrir a possibilidade de novas experiências, pensar em novas propostas, em novas formas de interações, em novas formas de trabalho, deu uma lufada de ar fresco, como um recomeço.

Em outubro, entramos para o Viagens Com Filhos, o maior portal de notícias de blogs experts em viagens com filhos (e ainda estou devendo uma série de coisas lá) comandado pelas destemidas coordenadoras do projeto Francine Agnoletto , Cláudia Rodrigues , Daniella Zambelli Xavier , entre outras.

E mesmo fazendo 50 anos, me sinto mais revigorada e com mais expectativas do que com meus 25 anos, começando minha jornada dentro da área de Farmácia, onde fui graduada.

E para você, eu desejo o que a querida Sut-Mie Guibert, do Viajando com Pimpolhos  me desejou no aniversário do ano passado (que ocorre em dezembro): além de saúde, amor, e as felicitações de praxe, ela me desejou novos horizontes, novas perspectivas.

Parafraseando (lá vem eu de novo com as citações bobas), o Rafiki, do mágico Rei Leão:

                 “Mudar é bom”

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *