Vivências em Munhoz

#ap

Esse não é um post específico sobre um lugar, como costumo escrever.

Os lugares visitados já têm posts de como chegar, contato, etc…

Vou contar como foi nossa visita desta vez e porque foi diferente.

Fica aqui a dica para você se inspirar e pensar num passeio bem diferente por estas paragens.

Tivemos vários pedidos especiais nesta viagem:

-Thiago queria acampar, porque fazia tempo que não ia para um acampamento e de quebra um lugar com pouca iluminação em noite de lua nova, para fotografar a via láctea;

-A Luiza (09 anos) queria acampar, porque nunca esteve num acampamento;

-O Kenzo (10 anos) também nunca esteve num acampamento e queria ter essa experiência..

-As crianças ainda queriam assar marshmallows na fogueira (e salsicha, pedido do Kenzo).

Pensamos então no Sítio Montanari,  com a sua estrutura perfeita para acampamento e experiências de um local mais rústico, como um hostel e a sua cozinha coletiva para preparar nossas refeições com o grupo todo, mais um momento para estarmos juntos.

Foi um final de semana só, começando no sábado de manhãzinha e terminando no domingo logo depois do café, mas foi intenso, vivido cada pedacinho do dia, que eu conto aqui.

A chegada

O café da manhã na chegada ao Sítio Montanari

Começamos nos encontrando, as 4 famílias na praça matriz de Munhoz, bem cedinho às 7h00 horas da manhã e tomamos rumo para o sítio.

A Fernanda e o Anderson nos aguardavam com um suculento café da manhã, com quitutes como um bolo de aipim com coco e geléia de morango (delicioso e fresquinho) feitos por ela, com morangos da região. Já que estou falando da geléia eu tenho que contar que geléias aqui em casa não vão para frente. Já desisti de comprar e trazer de lembrança de viagens. Acabam indo para o lixo. Trouxe um pote enorme e em três dias acabou….se passar por lá, TRAGA!!!!

Nos alojamos nas cabanas e nos aprontamos para uma desenferrujada pelas trilhas dentro do próprio Sítio.

As trilhas e cachoeiras no Sítio Montanari

Começamos a trilha para a primeira cachoeira, (que eu não lembro o nome), mas a primeira parada foi no lago, o dobro do tamanho da nossa primeira visita, em abril, para brincar no caiaque.

A primeira a experimentar foi a Júlia, com o Bolt, o pet de estimação. 

 

A Luiza se animou e foram tentar as duas juntas. Não duraram muito tempo na brincadeira. O caiaque é bom para uma pessoa, para duas já fica complicado, porque as duas pessoas têm que ter o mesmo jogo de corpo para manter o equilíbrio. Aí foi criança, cachorro, João, Thiago, todo mundo na água para acudir no acidente… que só rendeu um susto na valente Luiza e boas risadas para nós.

 

Antes

Depois

Partimos para a segunda cachoeira, a do Segredo, porque fica bem escondidinha. Descida violenta e chegamos através de um pequeno atalho na pequena mas bonita queda, com prainha de areia. Mais fotos, mais banhos na água gelada.

As crianças, na parte de cima da Cachoeira do Segredo, no Sítio Montanari

As crianças fizeram festa até com penas encontradas no pasto, transformadas logo em uma coroa de penas na Luiza…

A “coroação” da Luiza, com penas de não sei que ave…

Na volta, paradinha na lagoa que estava verde, mas segundo o Anderson fica azul, se o céu estiver mais limpo, água mineral, que abastece o próprio sítio.

Retornamos por outro caminho, um pouco mais comprido, mas melhor, porque se tivesse que subir aquela descida anterior tinha gente (eu!!!) que teria que ser içada…(Patrick, precisaria dos seus serviços….) 

Teve resgate com a gaiola para as crianças…

Retornamos aos alojamentos, só deu tempo de pegar dinheiro e rumamos para os carros para seguir para o centro da cidade para almoçarmos por lá e seguir para mais atividades na parte da tarde.

Almoçamos no Empório Mineiro, nosso restaurante preferido por lá, com comida mineira autêntica (provem o torresmo, é um negócio!!!), você pode escolher pagar o self service ou por quilo. Fica bem em frente à Praça da Igreja Matriz. Contato: (35) 99825-0932. Só fique atento porque o horário de atendimento não vai até muito tarde.

Passamos na loja do Juliano, comprar queijos. Fica na Rua Minas Gerais, 130, duas quadras para cima da Igreja. Contatos: (35) 99921-6097. Email: queijosmunhoz@outlook.com. Pegamos sempre o pacote de queijo muzzarela em nozinho, na medida certa, nem muito salgado, firme e delicioso. Ele têm doces, manteigas, iogurtes e outras gostosuras. Trouxemos da outra vez um queijo branco recheado com requeijão que é diferente e bem gostoso.

Bóia cross e flutuação

Seguimos então para a Pousada Numeidumato , para o bóia-cross (que estreamos com o pessoal da Munhoz Radical na semana anterior). Encontramos a querida Beth Fontanella e seu marido, o Beni e tocamos para o rio.

Como disse o Anderson, a má notícia era que o nível do rio havia abaixado muito, não sendo possível descer com a bóia, mas seria possível descer flutuando com os coletes.

No primeiro pelotão desceram Anderson, João, Renato e Kenzo.

Me contaram que tiveram partes difíceis, o Kenzo chegou a ficar com receio em algumas partes, mas no final, quando fomos ver a chegada, quando perguntamos se ele tinha gostado, ele com o queixo batendo, disse que -”Foi legal!!!”, feliz. Já valeu o frio e o cansaço.

Saindo da flutuação no Rio Correntinho, na Pousada Numeidumato

Neste meio tempo a turma também usou as bóias para brincar na parte do rio que forma uma prainha.

No segundo pelotão desceram Luiza, Júlia, Thiago e Anderson.Voltaram felizes, logo em seguida.

Considerando o tempo que já começava a ficar mais frio e começando a escurecer, voltamos para o Sítio Montanari.

Jantar e fogueira

Voltando para o sítio foi a hora do revezamento para banho enquanto os que iriam acampar foram montar barraca e preparar o acampamento. Teve pulos na cama elástica e teve fotos para o pôr do sol.Teve passeios com emoção no quadriciclo. E teve colheita de verdura direto da horta para as crianças.

O pessoal brincando na cama elástica

O Anderson levando o Serginho para andar de quadriciclo

A colheita de verduras direto da horta

As meninas fantasiadas

Colocamos na mesa alguns acepipes e bebidas trazidos por todos e entre idas e vindas, conversas espalhadas aqui e ali, escolhendo a trilha sonora da vasta coleção de vinis do proprietário (para deleite meu e da Júlia), experimentando as fantasias, preparamos dois caldos para esquentar a noite (que não estava tão frio quanto esperávamos que estivesse), um caldo verde e um de abóbora.

Como eu falei, a cozinha coletiva é ótima para promover a integração do grupo. Muito melhor que ser servido é preparar a sua refeição em conjunto!!!

Descansamos um pouquinho e foi a hora da fogueira, numa área reservada, com direito a poltronas de teatro a céu aberto. Inusitado!!!

Olha a fogueira e as poltronas vermelhas lá atrás

Eu tinha pensado numa fogueirinha, mas assustamos quando nos deparamos com uma fogueira monumental, digna de São João.

As lanças preparadas para carbonizar os marshmallows

 

Thiago, Enzo e Anderson já haviam preparado espetos não, quase lanças, para assar os tão sonhados marshmallows e salsicha para o Kenzo.

Se juntaram a esta brincadeira a Beth e o Beni, da Pousada Numeidumato.

E assistimos divertidos a sessão de carbonização dos marshmallows, considerando que foi a primeira vez dessa experiência para quase todo mundo. Eles saíam bem queimados da enorme fogueira e precisávamos tomar cuidado para não queimar a boca junto para degustar.

Não foi possível fotografar a via láctea, como o Thiago queria, porque estava muito nublado. Mas ainda assim teve avistamento de céu noturno coletivo na cama elástica do Sítio.

O avistamento de céu noturno coletivo na cama elástica

O Anderson havia combinado uma surpresa para todos, que era uma apresentação de um cantor local, mas como todos haviam levantado antes das 4h00 da manhã e pelas atividades do dia inteiro, todo mundo morto de cansaço, acabamos não conseguindo ficar para ver o moço…

No dia seguinte, café da manhã, pegamos geléia que a Fernanda fez, ajudar a desmontar acampamento e rumo para casa.

Contatos para você planejar a sua vivência:

Munhoz Radical: Anderson e Fernanda:  

https://www.facebook.com/munhozradical/

-Pousada Numeidumato: Beth Fontanella

https://www.facebook.com/numeidumato/

#ap

Os passeios e atividades deste final de semana, para nós e para todos os que nos acompanharam foram gentilmente cedidas pelo Anderson e pela Fernanda, da Munhoz Radical. https://www.facebook.com/munhozradical/

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

2 Comments on “Vivências em Munhoz

  1. Márcia,agradecemos pelos elogios e pela lembrança de nós.Esperamos em breve o retorno de vocês. Tê-los aqui,é sempre um prazer.
    Beth & Beni

    • Olá Beth e Beni!!!
      Nós é que agradecemos o carinho de sempre e a acolhida calorosa.
      Já falei para o Anderson e para a Fernanda que estamos cada vez mais chamando vocês de família e Munhoz de casa!!
      Um grande abraço!!!!
      Marcia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *