Parque Nacional da Serra da Itabaiana

Este Parque Nacional não é muito conhecido e é mais uma das áreas que fogem ao turismo tradicional de sol/mar e praia em Aracaju. Fica entre os municípios de Areia Branca e Itabaiana.

… “É, hoje, um dos destinos mais procurados no Estado de Sergipe para a prática de atividades de lazer. A área está inclusa na rota do turismo do Estado, Polo das Serras. Registra-se o acesso anual de 30.000 pessoas, aproximadamente, na área do Poço das Moças”

O Parque abrange os Municípios de: Areia Branca (SE), Campo do Brito (SE), Itabaiana (SE), Itaporanga D’Ajuda (SE), Laranjeiras (SE), Malhador (SE)

A entrada do Parque Nacional da Serra da Itabaiana

Retirado do Plano de Manejo, de 2016.

A Serra de Itabaiana foi considerada de extrema importância para a conservação da flora em conjunto com as matas de areia branca, de alta importância para a conservação de aves. Infelizmente, os frágeis solos de areia branca estão sofrendo um processo de utilização descontrolado.”

A região do Parque Nacional tem uma infinidade de lendas e mitos, que tem no seu passado, a busca das minas de prata no local.

Entre elas, a do Carneiro de Ouro, que atrai aventureiros gananciosos até as fendas abruptas da serra, a Sabaraboçu a serra que explode em ouro, o Santo Antônio Fujão, que não se conformava em ficar na Igreja Velha e fugia toda a noite quando era levado para lá, sendo encontrado sempre embaixo de uma quixabeira, uma árvore nativa. A Lagoa do Forno, resultado das lágrimas de arrependimento de um assassinato, (credo) atualmente conhecido como Rio das Pedras.

Encontrei no Plano de Manejo algumas descrições de pontos de interesse para visitação: do Poço das Moças, do Riacho das Pedras, da Mata do Encantado, da Serra Comprida e do Topo da Serra de Itabaiana.

Não encontramos sinalização para todos estes lugares e visitamos só o Poço das Moças, que recebeu esse nome porque caçadores encontraram duas “moças encantadas” tomando banho lá que em seguida sumiram sem deixar vestígios.

Na entrada, um guarda parque pediu para preenchermos um caderno com dados básicos e tivemos a entrada liberada. Prosseguimos pela estrada de terra por uns 15 minutos de carro. A estrada mesmo de terra estava tranquila e passamos por dois pequenos riachos.

Encontramos um grupo de mais ou menos 10 pessoas retornando pela estrada. Depois encontramos outros pequenos grupos e percebemos que é um passeio usual dos moradores locais.

A Sede do Parque Nacional da Serra da Itabaiana

Chegamos ao que imaginamos ser a sede do Parque e encontramos o Maicon, o guarda parque de plantão, que nos indicou os atrativos, subir até o pico da Serra mas fomos desencorajados dado o horário já avançado e o calor do sol inclemente do meio dia ou ir até o poço, o atrativo que a maioria vinha buscar.

Na sede, além da casa, existem sanitários e água fresca.

Também fomos aconselhados a deixarmos objetos de valor no carro. Para não ficarmos andando com celulares, máquina fotográfica, carteira, porque acontecem assaltos com certa frequência no meio da trilha. Explicou ainda que a entrada de acesso principal seria aquela por onde passamos,  porém outras 5 ou 6 entradas clandestinas haviam sido abertas e eles não tinham o controle dessas entradas, claro….Triste realidade brasileira…

Seguimos para a trilha, passando o portão de acesso e pegando a trilha à esquerda, cerca de 400, 500 metros que pareceram 2 km por causa do calor….

A mata de areia branca, visão inédita para gente, no Parque Nacional da Serra da Itabaiana

Um calor insuportável, que não estamos acostumados, faz um metro parecerem dez, aquele calor que vem de cima, de baixo e o reflexo do sol do meio dia naquela areia branca, fez tudo parecer mais cansativo ainda, mas também uma visão linda e diferente de tudo o que já tínhamos visto.

Vamos ter que acostumar a andar nesse calor ou a óbvia alternativa, que é começar a caminhar mais cedo.

O Maicon disse que para subir ao pico o acesso e o lado da trilha seriam o mesmo.

No poço, pequeno e de águas escuras um grupo de rapazes se refrescavam. Seguimos subindo para encontrar um canto mais sossegado.

Pequenos regatos vão se sucedendo ao longo do percurso da queda da água

Vários pequenos poços vão se seguindo conforme vamos subindo, mas o maior é o de baixo.

Os rapazes foram embora em suas motos e tivemos um sossego de meia hora com o poço só para gente. A água escura e morna é deliciosa, diferente, porque a nossa primeira reação é pensar na água geladíssima das cachoeiras e poços que acostumamos na região Sudeste e não é assim aqui….

Descansamos, comemos um lanche providenciado um dia antes e quando começou a arruaça do segundo grupo chegando com um isopor cheia de latinhas de cerveja descemos para ver os outros poços, abaixo do poço principal.

De novo, muito lixo esparramado. Recolhemos o que foi possível nas sacolas plásticas que carregávamos, deixamos nas lixeiras presentes em vários pontos (sim…Existem inúmeras lixeiras espalhadas. O problema deve ser de educação mesmo…).

O poço, com as águas escuras, visto de cima, no Parque Nacional da Serra da Itabaiana

Seguimos para a sede, o Maicon abriu os sanitários bem cuidados, conversamos mais um pouco e retornamos para Aracaju, devolver o carro alugado.

Os pontos referenciados no Plano de Manejo (que eu falei lá em cima)  para visitação

Não conseguimos ver, vai ter que ficar para uma segunda visita

Gruta da Serra

A Gruta se encontra em uma das nascentes do riacho dos Negros, formando uma queda d’água, com altura aproximada de 4m e que termina em um poço raso com dimensão aproximada de 3x6m, utilizado para banho. Para acessá-la também parte-se à pé da Sede Administrativa, percorrendo 570 m na estrada de serviço até chegar à entrada da trilha à direita, com comprimento total de aproximadamente 210m.

 

Cachoeira Véu de Noiva

Seguindo o curso do Rio dos Negros, abaixo do Poço das Moças, encontra-se a Cachoeira Véu de Noiva. É uma corredeira com 200 metros de extensão, finalizando em um poço com dimensões de 7 x 5 m. No meio da Cachoeira encontra-se uma cacimba utilizada pelos visitantes como hidromassagem natural.

Uma outra área, na Sede do Parque Nacional da Serra da Itabaiana

Para quando você for

Site

http://www.icmbio.gov.br/portal/unidadesdeconservacao/biomas-brasileiros/mata-atlantica/unidades-de-conservacao-mata-atlantica/2211-parna-serra-de-itabaiana

Como Chegar

Serra de Itabaiana, BR 235, KM 37

Fica a aproximadamente 38 km de Aracaju

Existe uma placa na estrada, BR 235. Fique atento. É esta placa que é sua única sinalização. Encoste à direita e há uma pequena estradinha de terra para no portão de madeira com a indicação. Mas como fica rebaixado do nível da estrada se você não prestar atenção perde a entrada como nós, que tivemos que pedir informações na polícia ferroviária 12 km depois e retornar.

Entrada

Gratuita

Telefone
(79) 99741719

Email

lenocosta@uol.com.br, parna.itabaiana@hotmail.com

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *