Parque Estadual de Intervales- A agonia de um Parque

Todo mundo sabe o quanto somos aficcionados deste lugar, já contamos aqui.

Depois de 16 anos seria de se esperar que  já estivéssemos enjoados, mas a mesma trilha, dependendo do clima,  do horário, da ausência de chuva (onipresente) e da companhia faz  cada visita ser uma experiência diferente.

E ao longo desse tempo mudanças foram acontecendo.

Criamos nossa filha aqui, apresentamos um pouquinho do que é fazer trilha para alguns, explorar cavernas para outros,  formamos novas amizades, fortalecemos algumas e outras se perderam por aqui.

Mas este é um post um pouco diferente, reclamando um pouco do que poderia melhorar e vimos decaindo ao longo do tempo.

A nova estrutura de hospedagem que estava sendo construída no começo de 2013 no Parque Estadual de Intervales

A primeira e gritante é a construção imponente que tomou o lugar da antiga pousada Capivara (como se chamava nos primórdios), parecendo um autêntico Lodge visto em Parques internacionais.

A estrutura em março de 2017, com sinais de deterioração, sem ser utilizado e aberto ao público

Em absoluto estou reclamando dessa construção. Além de elevar a experiência de hospedagem para outro nível, trazendo além de mais vagas disponíveis, a estrutura, a localização e o conforto oferecidos seriam o principal diferencial, ainda que para isso a tarifa fosse diferente.

Vimos esta construção ser finalizada em 2013. Visitamos o parque em fevereiro de 2017 e foi decepcionante ainda não ter sido colocada para funcionar.

O madeiramento já dá sinais evidentes de desgaste, animais e vegetação aos poucos vão tomando conta da estrutura abandonada, manchas na pintura em toda parte.

Vimos em um quarto no andar superior jogos de roupa de cama dentro das embalagens, deteriorando, sem uso.

Podemos ver ainda marcas de dejetos de animais que estão habitando a construção.

Ah.. Não invadimos o local não gente…. Olhamos por fora, como qualquer visitante pode ver.

A segunda experiência ruim já contei no post sobre o restaurante do Continuum aqui.

A terceira e geral, apesar de não poder constatar ou mesmo explicar aqui exatamente, é o aparente descaso do (s) gestor (es) do Parque.

São pequenos detalhes que poderiam ser modificados: as luzes das hospedagens permanecem acesas durante a noite toda. Por que não trocar por sensores de presença para economia de energia?

A Pica Pau, no amanhecer, no Parque Estadual de Intervales

É extremamente triste e ficamos com uma sensação de impotência em ver algo que apreciamos, que significa e significou em nossas vidas se acabando, se deteriorando aos poucos.

Não vejo sinais de melhoria, de implementação, de movimento, nada…Pelo menos nos últimos três anos pelo menos.

O que continua a movimentar e tocar o parque são os mesmos funcionários e guias que fazem esse trabalho por anos…Por puro amor e  dedicação ao trabalho como vêm fazendo ao longo desses anos.

Triste…. Muito triste…

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *