Trilha com crianças-Dicas básicas- transporte, guias e o tempo da criança

Muito bem, chegamos ao que acredito ser o último post sobre a série de dicas básicas em trilhas com crianças.

Se você quiser ler um pouquinho mais sobre o tema, veja aqui:

Trilha com crianças, é possível

Trilhas com crianças, o que pensamos

Trilhas com crianças- Dicas básicas- A malinha e medicamentos

Trilhas com crianças-Alimentação e hospedagem

 

Transporte

Se você vai viajar de carro, procure sair dos horários de pico.

Parece meio óbvio, mas a gente não se lembra disso até estar preso no meio do congestionamento e aquela viagem que levaria 2 horas leva 10 hs. Sim… você já sabe do que eu estou falando.

Fazemos uma coisa um tanto quanto aparentemente estúpida, muita gente não gosta, fala do perigo e tudo o mais, mas até agora, foi a fórmula que melhor funcionou para nós. E minha mãe fazia isso com a gente quando éramos pequenas, então este esquema funciona por gerações minha gente!

Saímos de madrugada. Não, madrugada não são 6:00 h da manhã. Madrugada é por volta das 2 ou 3 da manhã, depende para onde vamos.

Então neste horário quem já saiu direto do trabalho já foi e aqueles que vão sair de manhã, ainda estão dormindo. Normalmente, (gente eu estou falando de São Paulo, moramos no centro) quando a coisa começa a apertar, com todo mundo saindo e parando nos pedágios nós já estamos bem longe, provavelmente nas estradas vicinais ou quase chegando.

E sabe o melhor de tudo isso? Sua criança vai estar provavelmente acordando e as perguntas de lei: -“Já estamos chegando”, “Falta muito…” serão quase esquecidas ou minimizadas.

E se você dois ou mais filhos, as brigas serão minimizadas. Entendeu porque minha mãe fazia isso com 4 meninas espremidas no banco de trás?

Se a criança estiver dormindo, nós tentamos esticar o máximo que a gente pode. Quando acordar e começar com as perguntas e a irritação, chega a hora do suquinho, de parar um pouquinho, de ir passear lá fora para ver o passarinho, de ver o que tem lá naquela lanchonete do posto, de ver o livrinho,enfim, seja criativo e paciente!

Nos casos de transporte coletivo, infelizmente não tem muito como se programar em relação a horários. Se for para lugares distantes então, de repente só existe um horário disponível.

Mas vale a máxima de tentar entretê-lo com livrinhos, brinquedos, joguinhos,conversando e pequenas guloseimas.


Planeje sua viagem com a gente

-Reserve sua hospedagem  com o Booking

-Reserve sua passagem  com  a Mundi

-Faça seu seguro viagem com a Real

-Alugue seu carro na Rental Cars


Viajando de ônibus principalmente, nada de entupir a criança com comida antes da viagem. Não preciso explicar o que acontece depois né…

Guias e monitores locais

scan0021

O guia descendo com a Júlia em Prudentópolis

Com raras exceções, como em locais com sinalização clara ou trilhas autoguiadas, SEMPRE contratamos um guia ou monitor local.

Podem falar do espírito desbravador e aventureiro, mas com criança, a coisa muda um pouquinho de figura…

Você se perder sozinho no meio de uma mata fechada, ou na pior hipótese passar a noite, entre adultos perdido, é uma coisa, com criança é um fato inadmissível. Imagina o trauma que você vai causar na criança para sempre…

Não existe ninguém que conhece melhor o lugar que a pessoa que vive lá, ora.

Ah! Mas eu sou um trilheiro experiente e vou saber me virar, já fiz trilhas no mundo todo!

Não, a coisa não funciona assim… pode ser em algum lugar que aparentemente não ofereça risco algum… mas você não sabe. Aquele regato tranquilo, um espelho d’água, pode ter um degrau imenso que você não enxerga de fora d’água. Ou ter um redemoinho que te puxe para baixo e você não conhece. Uma cachoeira distante pode não ser tão bem frequentada, quantas histórias já ouvimos de assaltos em alguns lugares. Aquela caverninha gostosa, silenciosa pode ter túneis extensos que se você se perder não sai de lá sozinho.

E de novo, não é lenda, tudo isso já vimos acontecer. Não é sensacionalismo.

Perca (se você ainda é do grupo que não interage com o pessoal local) a timidez ou a vergonha e sim, converse com o povo local, pergunte, troque idéia, além deles te darem dicas que você nem imaginava, sua viagem será altamente enriquecida com este contato!

 

O tempo e o jeito da criança

scan0019

São Luís do Paraitinga-2005

Lembre-se sempre de um dos primeiros mandamentos:

“Adapte-se a criança, então tudo fluirá”

Veja bem, é aquela coisa do comercial jurássico dos biscoitos Tostines, é fresquinho porque vende mais… não, vocês viajam com seus filhos desde pequenos porque assim seu filho foi acostumado e sempre parece que foi fácil ou não, puxando pela memória, você lembra dos perrengues que passou quando eram pequenos e como VOCÊ já estava acostumado a viajar também relevou e passou por isso numa boa…

Enfim, o que eu quero dizer aqui, é que tudo depende de como vocês estão acostumados com as viagens e estilos de cada um, indivíduo e grupo familiar.

E pensar, com calma aqui:

-Se você é/foi trilheiro, e o seu foco é esse, provavelmente seu filho já está acostumado com isso, como é o nosso caso. Mas não é por causa disso que enfiamos por exemplo a Júlia num Circuito W na Patagônia quando ela tinha 5 anos de idade, esperamos até ela completar 12 anos. Sabíamos que ia ser duro, ela iria ter que carregar uma mochila cargueira, dormir em barraca, então esperamos ela ter um pouco mais de idade e experiência em outros trekkings antes de partir para uma coisa mais pesada. Assim, ela foi sendo “treinada” aos poucos, um ano Chapada dos Guimarães, depois Chapada Diamantina, para nós também podermos sentir o quanto ela aguentaria.

Não adianta de repente pegar seu guri que abomina barro e você achar que sim, ele faria um trekking pesadão de uma vez, afinal ele tem 8 anos de idade, sem ele ter experimentado algo semelhante antes.

A minha filha fez, porque estava acostumada desde pequena e adquiriu experiência.

-Ao passo que se inventarmos uma viagem para um resort 5 estrelas agora, ela com 16 anos (ok, não é mais criança), ela provavelmente morreria de catapora e questionaria todas aquelas instalações grandiosas e chiques em detrimento à destruição ambiental que o empreendimento causou. E sim, estressaria os pais com os questionamentos adolescentes/ambientalistas/ativistas.

Se o seu caso é exatamente o contrário, vá em frente.

De vez em quando, algumas surpresas acontecem e aí, entra realmente o espírito viajante-aventureiro também de experimentar algo diferente de vez em quando.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

One Comment on “Trilha com crianças-Dicas básicas- transporte, guias e o tempo da criança

  1. Quem diria que precisamos tomar tantos cuidados não é? Mas vale a pena… Matéria ótima, parabéns pelo site!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *