Chegando em El Chaltén- o reconhecimento e Chorillo del Salto

       Saímos de Buenos Aires  no sábado, depois de uma semana conhecendo os principais bairros porteños, fomos para o Aeroparque levados pelo nosso simpático e solícito anfitrião do apartamento onde ficamos, o Mateo, que acabou ficando com dó do tamanho da nossa bagagem e nos deu carona.

            Encontramos nossos queridos amigos Thiago e Lizanda, desembarcamos em El Calafate, e fomos para o stand (que lá eles chamam de Mostrador) do Transporte Las Lengas que havíamos combinado. Para mais informações sobre transporte, leia nosso post do Planejamento para El Chaltén.

            O nosso translado estava marcado para as 18:30 hs, mas com nós 6 mais um pequeno grupo, ele já fechou a van e antecipamos a nossa saída de El Calafate para as 16:00hs.

            Já fomos brindados com o vento patagônico logo na chegada do aeroporto e depois, conforme a van ia se deslocando, as colinas áridas, aquela cor característica da paisagem local, um misturado de cinza, com marrom clarinho, a vegetação de deserto ia matando as nossas saudades de andar por estas terras.

            Paramos no La Leona, esticar as pernas um pouco, comer alguma coisa e seguimos para El Chaltén.

            Parada estratégica também para fotografias do Fitz Roy, num céu azulzinho, lindo!

            Chegamos em El Chaltén no Hostel Los Condores , onde o Thiago ficara hospedado da última vez, por volta das 19:00 hs. O Hostel é um ótimo custo benefício, ficamos num quarto para quatro pessoas com banheiro privativo, PAR$ 440,00 a diária, com desayuno modesto, pão, café, chá, leite, manteiga e geleias. Existe o opcional de ovos mexidos por PAR$20,00 e cereais por PAR$ 15,00.

1-DSC05048 1-DSC05116

            Descarregamos, nos acomodamos e fomos procurar um lugar para jantar. As meninas do Hostel indicaram o La Tapera, mas precisava de reserva e não havia mais lugar (depois descobrimos por que) e saímos caminhando pela av. principal, a San Martin. Tentamos o La Cerveceria, famoso, tudo cheio e tinha que reservar e paramos no El Ritual del Fuego, sem muitas opções. Conto aqui  a nossa ingrata experiência. Comida ruim, serviço atrapalhado, não recomendamos. Bem, pode ser que tenhamos pegado um dia ruim, do cozinheiro, do atendente, do caixa, sei lá, pode acontecer…

            Havíamos reservado um passeio ao Parque Los Huemules, por indicação da minha amiga Carla, do Expedição Andando por Aí , mas o parque estava fechado, então trocamos o passeio do dia seguinte para o Chorillo del Salto.

 Chorillo del Salto

Chorillo del Salto

Chorillo del Salto

            Uma caminhada tranquila, saindo da cidadezinha, 4 km até a cachoeira.

             Vale para a estreia e dar uma leve aclimatada.

            Paramos antes em uma panaderia e compramos o nosso lanche de trilha, empanadas e media lunas . Perfeitas para o lanche!

            O passeio é tranquilo, muita gente passeando por aqui, todos visitam a queda e depois passam para ver a cachoeira pela parte de cima.

            E como para nós nada pode passar tranquilo, nesta de ver a cachoeira por cima, não é que o Ogro conseguiu se perder de nós? E lá vamos nós separar o grupo em dois, uma parte eu e as meninas e o outro grupo,Thiago e a Lizanda para tentar achar o #lost. Essa brincadeira rendeu uma demora de duas horas na nossa volta à cidade.

          Só renderam boas visualizações da parte de cima da Cachoeira e depois o Ogro contando sobre o perrengue que passou, com aqueles filmes de gente perdida no meio da floresta passando pela sua cabeça, o terror crescendo dentro dele. E ele disse que viu uma pessoa de pink andando beeem lá na frente, subindo a montanha que era a cor da camiseta da Lizanda e ele não teve dúvida, foi atrás! Só que a Liz estava com a gente, lá embaixo e até ele se dar conta que algo estava errado demorou.

            Daí por diante, a criança ficou proibida de andar sozinha pelas trilhas nessa viagem para não nos dar trabalho…

            Voltamos à cidade e além de bater perna, fomos complementar nossos suprimentos para a trilha que começaríamos no dia seguinte.

            Neste dia, conseguimos fazer a reserva no La Tapera e todos os nossos jantares daí para frente, foram neste lugar. É um lugar pequeno e bem concorrido. Comece sua refeição com uma porção de tapas (não, não são aqueles aperitivos mexicano) mas coisas que não imaginaríamos como petiscos: batata doce, cenouras refogadas, e depois, garanto que todas as coisas que você pedir não vai se arrepender. Desde massas até carnes, é tudo muito bom. Recomendamos muito!

A porção de tapas do La Tapera- foto de Thiago Benedicto

A porção de tapas do La Tapera- foto de Thiago Benedicto

            Fomos descansar para nos preparar para nosso acampamento para a Laguna de Los Tres e Laguna Torre no dia seguinte (e próximo post).

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

3 Comments on “Chegando em El Chaltén- o reconhecimento e Chorillo del Salto

  1. Adorei o relato!! Este é um lugar que tenho muita vontade de conhecer…vou ficar aguardando o proximo post!!!

  2. Pingback: El Chaltén- Campamento Poincenot e Laguna de Los Tres | Os caminhantes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *