Animal Kingdom

     

         Começamos a visita pelo que mais nos atraía e ouvimos falar: o Expedition Everest – Legend of the Forbidden Mountain®  

            A ambientação é bem legal, como em tudo nos parques da Disney.  Mas para falar a verdade, a ambientação é bem mais legal que a montanha em si. Aquele cenário lembrando o Nepal, as casinhas, os barcos, as bandeirolas coloridas, as estátuas foram na nossa opinião o que mais marcaram. Nossa única lembrança é que é aquele tipo de montanha russa que “dá ré”, mas de mais marcante não lembramos mais nada…Foi um tanto quanto decepcionante, pois esperávamos bem mais, considerando que na época de sua inauguração foi um “acontecimento”.

   

    

  

         Depois, seguimos para o Kali River Rapids,  aqueles brinquedos de molhar. O barquinho é redondo e coletivo, com capacidade para 12 pessoas.

            Eu não estava com muita vontade de me molhar desta vez, e fiquei de fora, só olhando e tirando fotos.

            O pessoal saiu molhado mas não encharcado como em alguns outros parques, como em dois brinquedos da Universal Island of Adventure, que eu conto aqui .

            Seguimos então para uma atração chamada Rafiki’s Planet Watch

      

      Pegamos um trenzinho leeerdo, para chegar numa área do parque que é dedicada a preservação dos animais.

o trenzinho slow motion

o trenzinho slow motion

            Dentro desta área fica a Conservation Station, uma área com alguns atrativos para reforçar a educação e o cuidado com os animais que o parque da Disney oferece.

            . Pegamos o trem de volta e fomos para outra atração, o Kilimanjaro Safari 

             Bom, aqui a atração dispensa explicações. É um… safári. Você pega um ônibus, a fila é bem rapidinha e vai visitando os animais.

            Desta vez não deu tanta dó dos bichinhos, pois as áreas são bem grandes e eles não ficam confinados. A visita rendeu boas fotos pelo menos…

            Passamos depois para a área da Dinoland, mas as meninas (e nós) achamos muito chato e acabamos desistindo do resto das atrações.

          Neste dia, nosso jantar foi no MacDonald’s da International Drive, o maior do mundo. Tirando o fator curiosidade, foi uma decepção. Eu não lembro direito o que eu pedi, mas inventei de pegar alguma coisa do cardápio gourmet, meio diferenciado, porque MacDonald’s por MacDonald’s já estamos enjoados de comer. E me arrependi, assim como todos. Mas, vale a visita, mas repito, não para comer…

            E assim, terminamos o dia, meio decepcionante para os dois passeios. Mas é o que eu digo: na primeira vez, a gente tem que visitar tudo, nem que seja para riscar numa próxima visita, como faremos.

 

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *