Buenos Aires- Centro e San Telmo

Galerias Pacífico

       No nosso segundo dia em San Telmo, domingão, já havíamos planejado que seria o dia de visitar a feirinha famosa de San Telmo, mas a primeira tarefa do dia era tentar carregar o Sube. Andamos depois da Av. Santa Fé, na Av. Puerydon e carregamos dentro do Subte. Conto mais aqui.

     Pegamos o metrô,(Subte) pela primeira vez até a Catedral. Achamos bem parecido com o metrô de São Paulo, mas não sei se pelo fato de ser domingo, mais vazio e organizado, mas mais antigo. Descemos e logo encontramos um quiosque de informações turísticas, onde pedimos várias informações e pelo nosso sotaque logo nos direcionaram uma atendente que falava português.

    A atendente nos indicou onde ficavam as clássicas Calle Florida, (já estávamos nela), a Galeria Pacífico e também sobre o Bus Turístico  .

   

a recepção do serviço do Bus Turístico

a recepção do serviço do Bus Turístico

   Fomos até mais para frente para ver como funcionava o Bus Turístico, que aliás estava com uma fila bem grande. Não compramos o boleto por acharmos caro, na hora o bilhete custa cerca de PAR$200,00 por pessoa, havia um desconto, para nós ficaria algo como PAR$ 700,00 e alguma coisa e também porque iria passar por lugares que nós não queríamos visitar: http://www.buenosairesbus.com/recorrido.htm

            O trajeto inclui:

          Aqui os preços dos bilhetes:

            Não utilizamos, mas achei válido para aqueles que têm pouco tempo para ficar em Buenos Aires e querem dar uma visão geral dos pontos turísticos. O ônibus funciona no sistema Hop on , Hop off. Pelo que eu entendi, você pode descer do ônibus, visitar ou ficar no lugar que estiver mais interessante para você e pegar o próximo.

 Voltamos para a Calle Florida e fomos entrando em todas lojinhas da rua. Imagine, 3 mulheres soltas, olhando loja por loja… achamos uma loja de lembrancinhas “cara de turista” com artigos de couro, cartão postal de tango, ímãs de geladeira, lojas de bolsas de couro (ou sintético), bem em conta e as duas adolescentes se mataram em uma loja que vendia anéis bem baratos, que não conseguem lembrar o nome. Mas a ordem é garimpar por aqui….até as lojas enormes da Farmacity eram diferentes e entrávamos em todas…

            Tomamos um mini frapé numa loja da Havana Café, sim, dos alfajores, também compramos, mas se você passar por uma loja, não deixe de experimentar:  Os mini frapés são bem em conta, PAR$ 21,00. Saborosos, com um gosto forte e encorpado de chocolate ou doce de leite, com coberturas deliciosas e num tamanho ideal para quando bate aquela vontade de comer um doce. 

Galeria Pacífico

Galerias Pacífico

     Enquanto eu e o João  visitávamos o outlet da marca Montagne  , uma marca local para roupas e equipamentos para esporte de aventura,  as meninas se separaram e foram conhecer a Galeria Pacífico.

Outlet da loja Montagne

Outlet da loja Montagne

      Na Montagne, estávamos preparados para gastar. Deixamos de comprar muita coisa no Brasil para a próxima escala depois de Buenos Aires que seria El Chaltén para nos regalar na capital porteña. E aqui começou o nosso modo decepção total em compras em Buenos Aires. Queria ter comprado roupas e equipamentos, nova barraca, novos bastões de caminhada, mais botas mas foi completamente equivocada nossa opção. Para você ter uma idéia, uma camiseta North Face por exemplo, custava o equivalente a R$80,00~R$ 100,00. Um blusão para o frio, que o Ogro tinha encomenda, cerca de R$ 500,00. Sem condições.

O interior das Galerias Pacífico

O interior das Galerias Pacífico

            Nos encontramos com as meninas na Galeria Pacífico. Lógico que duas adolescentes (que também nos acompanharam em Orlando e andam por São Paulo) têm noção de preços e variedades e assim que nos encontraram disseram que não valia a pena…

Loja da Morph nas Galerias Pacífico

Loja da Morph nas Galerias Pacífico

        O Shopping é bonito, aquele teto abobadado e pintado é lindo e tal, mas é mais um shopping…Havia uma filial da famosa Morph, que a Júlia queria muito visitar para comprar peças para o banheiro mas também foi impossível de comprar alguma coisa. Decepção parte II…Almoçamos na praça de alimentação mesmo. Dividi uma salada Caesar com minha sobrinha e o João e Júlia pegaram uns daqueles pratos básicos, arroz, frango grelhado e salada. Horrorosos os dois. E aqui começamos a estranhar a falta de pratos e talheres “de verdade”. Tudo no plástico e isopor, depois percebemos que é bem comum.

            Pedimos informações no Shopping mesmo e pegamos o bus 130 para San Telmo até a Plaza Dorrego. Passamos um pouquinho do ponto, mas foi bem fácil achar, pois pensava que a feira se restringia mais à Plaza e chegando lá, nos surpreendemos com o tamanho! O bairro todo parece uma festa!

Olha que figurinha!!

Olha que figurinha!!

            Pensa numa feirinha de Embu das Artes , só que muitas vezes maior e melhor. Têm as barraquinhas com antiguidades, artesanatos, discos, bijouterias, roupas, têm lojas de antiguidades mais chiques, têm prédios e construções antiguinhas e bem gracinha, têm gente descolada, apresentações de músicos, performers, têm gente do mundo inteiro, você fica sem saber para que lado olhar, de tanta informação e variedade.

Dá para se perder por aqui um dia inteiro, pena que já havíamos visitado a parte do centro, e já era tardezinha,e os dois velhos já estavam cansando, mas têm galerias gracinhas, mais refrescantes e longe um pouco da muvuca da rua, o Mercado de San Telmo, que é bem grande, mas estava muito quente e me deu uma sensação meio claustrofóbica, então acabamos saindo.

        

Mercado de San Telmo

Mercado de San Telmo

          E lógico, tem a famosa estátua da Mafalda, com uma filinha organizada para a clássica foto ao lado da personagem, que todos querem tirar.

             Voltamos para a Av. Paseo Colón, pegamos o bus 130 de volta, que nos deixou na Av. Santa Fé, em Recoleta, onde estávamos. Uma dica doméstica aqui, passamos no Carrefour da Santa Fé para compras acima de PAR$200,00 (uma compra básica atinge isso), eles entregam “em casa”. É estranho porque eles vão à pé mesmo, num tipo de carrinho onde se empilham as cestas de plástico de mercado, mas foi uma facilidade, principalmente  porque estávamos sem carro desta vez. 

Outros posts da série Buenos Aires:

Como foi se Hospedar pelo AirBnB

Recoleta e a Livraria Atheneo

Utilizando o transporte público em Buenos Aires

-Nossa experiência no El Palacio de Las Papas Fritas

Palermo

Rio Tigre

Parque de La Costa

Villa Crespo

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

4 Comments on “Buenos Aires- Centro e San Telmo

  1. Pingback: Villa Crespo e algumas informações do câmbio em Buenos Aires | Os caminhantes

  2. Pingback: Buenos Aires- Rio Tigre | Os caminhantes

  3. Pingback: Chegando a Buenos Aires, reconhecendo a capital e a Livraria El Atheneo | Os caminhantes

  4. Pingback: Parque de La Costa | Os caminhantes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *