Epcot Disney

A entrada do parque já é bem legal, com aquela bola branca enorme que povoa nosso imaginário quando falamos em Disney, e também o monorail.

            Começamos nossa visita pelo pavilhão do The Land, mas como a fila estava meio grande, pegamos o ticket do Fast Pass e continuamos nosso passeio.

Living with the Land

           Enquanto esperávamos, fomos até o Living with the Land, um barquinho, que vai bem lentamente pela água, passando por vários cenários, tipos de ecossistemas diferentes, primeiro em telas e animações e depois, passamos para uma grande estufa, com diversas vegetações do mundo todo. É interessante, bonito, mas não é nada assim entusiasmante.

Soarin

Soarin

           Depois, já na hora do Fast Pass, voltamos ao Soarin, a famosa atração, onde você, com 5 pessoas num carrinho, mais um monte de carrinhos, que simulam uma asa delta, “levantam voo”, passando por vários cenários. Imagine como se fosse aqueles brinquedos 4D, em uma tela gigante, então têm as sensações de frio, de água e como se você estivesse voando por sobre os lugares.

Imagination Institute

Imagination Institute

           Em seguida, o Imagination Institute, que vou falar a verdade, achamos muito chato. Talvez tenha alguma graça pra os americanos, alguma referência, ou para crianças pequenas, porque na saída, têm um simuladores de luz e som, mas as adolescentes não curtiram.

A fonte com águas saltitantes

A fonte com águas saltitantes

            Depois de sair do brinquedo, passeamos pelas fontes dançarinas (não sei se é assim que se chama), mas as meninas se divertiram aqui, com as águas que saltam de uma fonte para outra, bem bobo, mas uma pausa legal (e refrescante, para elas, que faziam de tudo para se molharem).

Mission Space

Mission Space

           Chegamos ao Mission Space, que simula uma viagem ao espaço. Escolhemos a opção do Time Laranja, mais radical. A ambientação é bem legal, e você entra numa cabine, colocamos cintos de segurança e ficamos em posição de lançamento de foguete como vemos nos filmes. A sensação é de “lançamento” mesmo, com direito a muita dor de cabeça e falta de ar…

O bilhete do Time Laranja

O bilhete do Time Laranja

            Aconselho que, conforme informa o bilhete, se você tiver algum problema de saúde não vai achar assim tudo tãao legal, opte pelo Time Verde, que dizem ser mais leve.

Universe of Energy

Universe of Energy

 

Passamos pelo Universe of Energy, mas havíamos lido que não era tão interessante e pulamos a atração.

 

Spaceship Earth

Spaceship Earth

            A última atração deste lado do Future World, antes de passar para o World Showcase, foi lógico, o Spaceship Earth. Também, seguindo de barquinho, você vai passando pela história da humanidade, desde 40.000 anos atrás, até os tempos modernos, passando pelo antigo Egito, o Império Romano, com cenários perfeitos.

China em Epcot

China em Epcot

            Passamos então, para o lado do World Showcase, a área onde têm a representação de um pouquinho de cada país. Aproveite aqui, para comer aquela comida típica que você gosta e para comprar os souvenirs que são específicos, só encontra aqui (não achamos em outras partes dos parques da Disney).A sua visita dependerá dos seus gostos, interesses e afinidades claro. Na sequência que visitamos, começamos do lado direito para o esquerdo:

México em Epcot

México em Epcot

-Canadá

-Reino Unido

-França

-Marrocos

-Japão

-Estados Unidos

-Itália

-Alemanha

-China

-Noruega

-México

Japão em Epcot

Japão em Epcot

     Como a Andreza  a especialista em Disney já havia comentado, encontramos no pavilhão do Canadá, uma plaquinha onde o Martin Short faria uma apresentação, mas com a fome apertando, fomos passando rapidinho pelos países….

Monopoly dos Beatles

Monopoly dos Beatles

Olha esse que fofo

Olha esse que fofo

O do Reino Unido achamos que vale bem a pena visitar a lojinha. Sério, se fosse um pouco mais enlouquecida, teria trazido cada uma daquelas lembrancinhas, como eu falei, não tinha visto ainda, um Monopoly exclusivo dos Beatles, nem uma caixinha personalizada do Yellow Submarine.

Na França, havia uma apresentação, muita gente parando para assistir ao show de equilibrismo do moço sobre várias cadeiras empilhadas, o restaurante também parecia ótimo, mas tínhamos um destino específico: o pavilhão seguinte.

      Sei que pode parecer bairrismo, mas depois de alguns dias em terras estrangeiras (onde quer que estejamos) a vontade de uma comidinha japonesa acaba fazendo falta. Não que comemos só comida japonesa em casa, mas o shirogohan (arroz branco) de todo dia deve ser como o brasileiro sente falta do sagrado arroz e feijão (que também sentimos muuita falta!).

Shirogohan!!!

Shirogohan!!!

Almoçamos aqui neste pavilhão e também a lojinha é de enlouquecer. A ala com os brinquedos dos  desenhos do Miyazaki, do estúdio Ghibli (criador de Chihiro e Totoro entre outros desenhos fabulosos) são tentadores…

Os souvenirs dos desenhos do Miyazaki

Os souvenirs dos desenhos do Miyazaki

Noruega em Epcot

Noruega em Epcot

      Os pavilhões seguintes, só fomos passando… na área da Alemanha, a cidadezinha em miniatura é bonitinha e na ala da Noruega, já que estávamos por lá mesmo, pegamos a fila monstruosa do Maelstrom, como diz a Júlia, pensamos que fosse algo forte, intenso e assustador, digno de vikings, mas não conseguimos nem lembrar o que vimos lá dentro…

 E assim, quase mortos de cansaço, este Parque foi onde mais andamos, com certeza, voltamos para “casa” para descansar.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

2 Comments on “Epcot Disney

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *