Vitória- chegando a terras capixabas

Catedral Metropolitana

Nosso hostess principal para esta viagem, lógico, Tiago Reis, com o seu Rotas Capixabas:

A viagem para o Espírito Santo é rapidinha de São Paulo. Em uma hora e meia já desembarcávamos no Aeroporto de Vitória, procedimentos normais de pegar o carro alugado e  procurar o hotel: fizemos a reserva pelo Booking,  e ficamos no Hotel Cannes . Av. Jerônimo Monteiro, 111- Centro- Vitória- ES. Fone: (27) 3232-7200

Mais algumas hospedagens em Vitória aqui.

Quando chegamos, aquela estranheza inicial e a cara dos dois para mim: “Você tem certeza que é aqui….” .Infelizmente eu tinha… explico: o hotel, da porta para dentro, até tem bons quartos, o atendimento é legal, teve um café da manhã decente, mas a primeira impressão… acredito que o grande impacto inicial foi a localização do Hotel, bem no centro de Vitória, mais ou menos como se alguém viesse para São Paulo e se hospedasse na Av. São João. Mas aquela coisa de sempre: era só por uma noite, R$ 170,00 para os três, não iríamos passar o dia no Hotel e sim, bater perna, então…ah! e o problema começou logo de cara: parar o carro em plena avenida central, com os ônibus e carros buzinando e jogando luz para cima de você (o que diga-se de passagem, foi uma das coisas que mais marcou no Estado capixaba. E depois falam que paulistano é estressado!).

Acabei “fazendo amizade” com um flanelinha da rua de trás, perto da Catedral Metropolitana de Vitória e deixava o carro por lá mesmo. Preciso dizer só, que depois das 15:00 hs o estacionamento conveniado é aberto e o carro pode ir para lá.

Almoçamos num quilo que o pessoal do Hotel indicou, bem fraquinho, um tal de Filé Grill (é, estávamos azarados e também foi a falta de procurar melhor, mas queríamos passear), e começamos nosso passeio pela Catedral Metropolitana de Vitória, que faz parte do projeto Visitar Vitória .

Vitrais da Catedral Metropolitana

 

Copiando do site: “Turistas e moradores contam com visitas monitoradas gratuitas no Centro Histórico de Vitória. Dos 51 pontos de interesse turístico e cultural que integram a área, sete são monitorados regularmente pelo projeto Visitar e ficam abertos à visitação de terça a domingo, inclusive feriados, das 9h às 17h.”…

A Catedral foi construída no mesmo local da antiga Igreja Matriz de Nossa Senhora da Vitória, por volta de 1550, depois foi demolida para dar lugar a uma igreja maior e com estilo condizente com o novo período político e econômico, iniciando então em 1920 e somente concluída na década de 1970. (copiando do folder)

Encontramos uma monitora no local, que nos explicou muitos pontos de interesse: perguntou-nos o que mais havia chamado atenção numa primeira olhada e respondemos que eram os lindos vitrais. Ela discorreu sobre os vitrais, que foram doados por famílias, grupos e irmandades locais influentes, onde podemos ver marcado em cada vitral o seu respectivo doador.

O vitral da entrada da Catedral

Também explicou sobre a geografia e a história de Vitória antigamente, onde hoje se situa a Catedral era chamada anteriormente de Cidade Alta e a parte de baixo da cidade era o mangue, e eles aterraram esta parte, conforme a cidade foi crescendo. E um vitral teve que ser colocado bem na entrada da Catedral, pois como estava situada na parte alta, o vento que vinha de baixo, apagava todas as velas, na hora das missas, um diferencial que eu não havia visto em outra igreja.

Ainda visitamos a cripta, no subsolo, onde estão enterrados alguns dos principais bispos da história da Catedral.

a parte da cripta

São mais sete os monumentos do Centro Histórico de Vitória, que integram o projeto e achamos que vale muito a pena a visita.

Saindo da Catedral, tentamos achar a fábrica da Garoto, lógico, mas nos perdemos um pouco (ai que novidade…), e quando chegamos lá estava fechado…(aos sábados fecha às 14:00 hs).

Nas nossas perdidas, vi a plaquinha para o Museu do Vale, que o Tiago Reis fez uma postagem bem legal , e fomos visitar o Museu.

Museu do Vale

Este museu conta a história da Estrada de Ferro Vitória a Minas através de uma exposição permanente e realiza exposições temporárias também, com artistas nacionais e internacionais.

Copiando do site:

Endereço:

Museu Vale
Antiga Estação Pedro Nolasco, s/n
Argolas
Vila Velha, Espírito Santo – Brasil
CEP 29114-920
Tel.: 55 (27) 3333-2484

 

Horários do Museu

Janeiro
Segundas – fechado para o público (manutenção)
Terças a domingos – 10h às 18h

Fevereiro a dezembro
Segundas – fechado para o público
Terças a sextas – 8h às17h
Sábados e domingos – 10h às18h

 

Efetuamos a visita usando o audioguia, para visitar os dois andares do Museu. Em frente de cada atração com a explicação disponível no audioguia existe um número, é só digitar o número e você escuta toda a explicação sobre a respectiva atração, em inglês ou português.

Começamos a visita pela locomotiva, onde podemos subir no vagão de passageiros e do maquinista.

A locomotiva de 1945

Depois, no primeiro andar, a exposição permanente, com artigos artefatos, instrumentos, maquinários e fotos da época da construção da ferrovia.

as antigas luminárias

No segundo andar, onde existia a maquete da ferrovia, atualmente em manutenção, um painel onde você escolhe se quer ouvir sobre a extração, a ferrovia ou o complexo Industrial de Tubarão.

Anexo a este salão, o espaço para as exposições temporárias.

Devolvemos os audioguias, agradecemos a visita e fomos informados ainda, que a partir do dia 12 de julho aconteceria uma nova exposição, no galpão principal, Reinventando o Mundo, que vai até 15 de setembro. Fica a dica, para você que estará em Vitória nesta época.

Sim, somos de trilhas e caminhadas, mas adoramos também um programa cultural! Achamos que para nossas visitas serem completas, é necessário e obrigatório conhecer um pouco da cultura e gastronomia local!

Foram duas amostras muito rápidas, mas gostamos bastante!

 

até foto eu tirei para testar, mas faltou o principal...

até foto eu tirei para testar, mas faltou o principal…

Já tardezinha da noite, lembramos de uma coisa muuuito importante! Esquecemos de compar o botijão para estrear nosso novo fogareiro comprado nos States. Fiz até foto para comparar o fogareiro antigo e o novo, mas, simplesmente, comemos bola! Depois conto como nos viramos no acampamento…

Quase não encontramos mercado ou outra coisa aberta, pegamos uma padaria já lavando o chão e encerrando o expediente às 18:00 hs, não estávamos já com muita vontade de caçar alguma coisa para comer, pegamos uns pãezinhos com frios e voltamos para o Hotel para descansar para a segunda parte da nossa viagem.

 

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

4 Comments on “Vitória- chegando a terras capixabas

  1. Oi, Marcia! Que honra ter sido seu hostess, mesmo que à distância. 🙂
    Pena que a passada de vocês por Vitória foi tão rápida.
    Realmente, hospedar no Centro não é muito legal, não. À noite e nos finais de semana fica muito vazio e os estabelecimentos são bem antigos. Mas pelo menos você conheceu a nossa parte histórica.
    Poxa, achei que vocês fossem dar um toque quando estivessem em Vitória para a gente se encontrar. 🙁
    Tô doido para saber como foi a viagem!!
    Ansioso pelos próximos posts.
    Abs na família!

    • Oi Tiago!
      Mesmo à distância, digo sim, que você foi nosso hostess pois pegamos muita coisa no Rotas Capixabas.
      Nossa passagem por Vitória foi mesmo estratégica, só para… chegar (uma tarde) e partir, na volta, de Guarapari para o Aeroporto.
      Nem posso dizer que foi assim, uma visita como deveria ter sido, ainda mais sem ter conhecido pessoalmente você, a Renata e a Maria linda!
      Só para adiantar, gostamos muito do Espírito Santo, não sei se conseguirei escrever com muita velocidade, pois volto ao trabalho amanhã, e repito, agradeço mesmo as dúvidas tiradas, os conselhos e as indicações!
      Um grande abraço, da família ogro para a família capixaba!

  2. Nossa.. mas foram de hospedar logo no centro de Vitoria.. se eu soubesse teria indicado um lugar decente. Ali nao indicaria mesmo. jamais. seria bom para conhecer o centro historico e só! Exatamente o Projeto Visitar. mas vcs acabarm indo num local so do projeto! No meu blog eu ja falo disso na tag Vitoria… e falo do Museu da Vale na Tag Vila Velha, pois ele fica em Vila Velha!

    beijos!

    • Oi Melissa…
      Pois é, é como te disse… loucuras de pegar assim, o primeiro e mais barato que aparece…
      Mas o nosso foco principal, a nossa cereja do bolo da vez, era o Pico da Bandeira, que falaremos mais tarde…
      Foi só uma paradinha antes de seguir viagem, e mesmo visitando um só local (sim, tenho a certeza que gostaríamos de ter visitado todos os locais do projeto), achamos que valeu a pena!
      Um grande abraço!
      Marcia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *