Serra do Cipó

            A Serra do Cipó se localiza 90 quilômetros a nordeste de Belo Horizonte, logo depois da cidade de Lagoa Santa, na região sul da Cordilheira do Espinhaço.
            O acesso de automóvel é feito através da rodovia MG-10 em pouco mais de uma hora.
            Estivemos duas vezes, a primeira com a  Freeway, nos idos de 1994 e depois por conta, em 1997.
            Agora, optamos como alternativa, depois das ajudas do José Henrique Amormino Fonseca, do blog Aventuras e Expedições, mineiro, aventureiro e montanhista e mais um amigo do Thiago Benedicto, Red Genaro, que é guia na região, ficar em Conceição do Mato Dentro, que não conhecíamos ainda. Como eles disseram, a Serra fica bem movimentada no Carnaval, justamente por ser bem perto de Belo Horizonte, de fácil acesso, e não nos apetecia enfrentar a bagunça… além do fato que provavelmente as hospedagens deveriam estar mais inflacionadas neste período…
            Vou dividir a postagem em duas partes, para se tornar mais “didático” e separar a parte de Cipó de Conceição.

Nosso roteiro dia a dia

Chegando em Minas- Aeroporto de Campinas e Confins

 
        Nossa viagem começou na sexta-feira mesmo, com os paulistanos enlouquecidos saindo para mais um Carnaval, saímos de Guarulhos, depois do trabalho e escola, pegando o restante do pessoal em Alphaville às 16:00 hs e desviando do congestionamento na Castelo Branco por um atalho conhecido pela Lizanda e o Thiago por Santana de Parnaíba em direção desta vez à Campinas, no Aeroporto de Viracopos.
            O aeroporto é pequeno, mas bem organizado e gostamos desta nossa primeira experiência, pois não tem aquela agitação de Guarulhos e aquele aperto de Congonhas, e principalmente, você não pega o congestionamento usual que acontece toda véspera de feriado. Tudo bem, aconteceu um acidente na Rodovia Bandeirantes, e o trajeto que faríamos normalmente em 1 h levou 2 horas, chegando por volta das 18:00 hs.
            Estacionamos no  Virapark, … copiando do site:

  “Um novo conceito chega à Campinas !

Um empreendimento de 70.000 m² voltado aos serviços de estacionamento de veículos e distante apenas 4 minutos do Aeroporto Internacional de Viracopos. Com ótima localização, encontrarão mais de 2.600 vagas, com segurança e traslado gratuito em ônibus exclusivo (leva e trás) até o terminal de passageiros 24 horas por dia. Deixe seu carro no Virapark e viaje tranqüilo usufruindo de um novo conceito de serviço e apoio ao passageiro de Viracopos!”…
            O translado realmente é rápido, de 10 em 10 minutos, chegam micro-ônibus, que te levam ao Aeroporto. Usamos o sistema do “SEM PARAR”, a fatura acabou de chegar: por 5 dias, 1h e 48 min, pagamos R$ 114,00, muito mais barato que uma corrida de táxi até Guarulhos (ou Congonhas) e muito mais cômodo, pois em cerca de 1h30 estamos em casa.
            Jantamos na Macarronada Italiana, comemos Beirute de frango e filé mignon e caesar salad, cerca de R$ 20,00 cada prato, bem servidos e bem gostosos.
Momento fofura…
            De sobremesa, o mini bolo, super fofo, personalizado, encomendado para o Ogro, pelo Thiago e Lizanda, que fazia aniversário, com direito a momento mico no aeroporto, mas até os Ogros se emocionam e sentimos que ele ficou feliz de verdade!!
            Embarcamos às 21:00 hs e 1h30 depois desembarcávamos em Confins, nem deu tempo de esquentar o assento do avião.
            O episódio de retirada do carro alugado foi uma novela! O sistema estava muito  lento, e demoramos mais tempo na fila da Unidas do que no próprio vôo… mas ainda assim, saímos de lá com o carro. Ficamos com dó e ao mesmo tempo com muita bronca da locadora do lado do nosso balcão de atendimento, a Movida. Vários passageiros chegando, falando que já tinham reservado, confirmado, mas não haviam mais funcionários atendendo. Prestem atenção nestes detalhes para a retirada de veículos em Confins! A funcionária que estava nos atendendo, contou que a Unidas paga táxi para levar os funcionários que ficam além do horário para casa, mas as outras locadoras, dificilmente fazem isso… #FAIL….perda para a empresa, perda dos funcionários e dos clientes, nem se fala.. perde todo mundo.
            Pegamos nossos carros, nós um Uno Novo, amarelo neon (que os funcionários chamavam de “marca texto”) e a Liz, Thiago e Hebert um Gol preto.
            Tocamos para Pedro Leopoldo, no Hotel Castilho, que encontramos depois de muita busca. Mais um adendo chato de logística, mas porque escolhemos esse Hotel: Confins fica distante de BH cerca de 40 km, e no dia seguinte, iríamos para a Serra do Cipó, em direção à Lagoa Santa, no sentido inverso. Se nos hospedássemos em BH, seriam 80 km a mais de viagem desnecessária…além dos preços das hospedagens, a maioria estava com o pacote total do Carnaval e seria só uma descansada para continuarmos até nosso destino final, Conceição do Mato Dentro.
            Chegamos no Hotel quase 1h da manhã, o pequeno centro da cidade fechado para o “desfile de Carnaval”, uma brincadeira que deve ser característica da cidade, não sei, com os moços vestidos todos de moças. Não conseguíamos chegar até o Hotel pelo bloqueio de trânsito, o que nos atrasou ainda mais a chegada.
            O cansaço todo, o cheiro de bebida, impregnado nas ruas, aquela farra da moçada, um tantinho “altos”, a entrada em reforma do Hotel, nos deu uma má impressão, mas seria por uma noite apenas… pagamos R$ 139,00 o quarto para três pessoas, a diária com café da manhã.
            Até descarregar, arrumar as mochilas para saírmos de manhã para encarar a estrada e uma trilha na Serra do Cipó, fomos dormir quase às 2:00 h da manhã.

Segundo dia- Serra do Cipó

Cachoeira da Farofa

            Dia seguinte, com as ruas já lavadas, mais descansados e com o café da manhã surpreendentemente farto, ficamos com outra impressão.
O café da manhã do Hotel Castilho
Saímos por volta das 9:00 hs, para variar nos perdemos, fomos seguindo as instruções do nosso GPS (que falta regulagem, eu não entendo…) e do Thiago para… Jaboticatubas, pois não fizemos a lição de casa básica, procurar no mapa antes…
Depois, conversando lá em Conceição e vendo o mapa, e pelo caminho que fizemos na volta, era bem mais fácil do caminho que nos enfiamos…só sei que fomos parar num estradão de terra, andamos por lá por uns 20~25 km, saímos sabe-se lá onde, até achar o vilarejo da Serra do Cipó.
            Lembrávamos que existia o vilarejo, mas 15 anos depois, tudo estava beeem diferente do que lembrávamos.  A vila é muito bem estruturada, inúmeras placas de pousadas, restaurantes, lanchonetes, mas como estávamos atrasados, só “passamos”.
            Logo achamos indicações para o Parque, perguntamos também para alguns policiais florestais na entradinha do vilarejo, que confirmaram e seguimos numa estrada bem ruim, para a entrada. A Sede é bem demarcada, estruturada, existem sanitários e outras construções, que devem servir como alojamento e outras finalidades.
A portaria do Parque
            Começamos a trilha somente ao meio dia, e pelo horário, decidimos ir somente até a Cachoeira da Farofa, 16 km de caminhada, 8 km de ida e volta.
            Copio aqui, do Clube dos Aventureiros, a descrição da trilha: …”A Cachoeira possui uma queda d’água com cerca de 80 metros de altura, em meio a um paredão de rocha quartzítica cercado de gramíneas e orquídeas que decoram bastante a paisagem local. Suas águas frias variam em quantidade conforme determinadas épocas do ano. Os meses de maior volume se situam de dezembro a abril e seu nome é devido à água que se esfarela pelas pedras formando uma profunda piscina natural.”…
            Podem ser alugados cavalos ou bicicletas na Sede, para fazer essa trilha.
            A trilha é bem tranquila, toda plana, só no finalzinho, cruzamos alguns charcos, e em algumas partes, cruzamos riachos. É autoguiada, não precisa reservar guia nem agendar anteriormente.
Os charcos no caminho…
            A previsão de caminhada é em torno de 2 horas, e até a metade, realmente fizemos em 1 hora, mas então o calor do meio dia, a paisagem linda, que nos fazia parar a cada 10 passos para mais um clique, e a travessia dos charcos foram nos atrasando…
Cachoeira da Farofa
            Saímos da Sede do Parque às 18:00 hs, paramos para comer no vilarejo mesmo, porque não tínhamos idéia do horário que chegaríamos em Conceição do Mato Dentro e também sabíamos que não encontraríamos mais restaurantes dali para frente.
            Outros links úteis para montar o seu roteiro:
      Onde resumimos abaixo as principais atrações. Acesse o site para o roteiro completo, inclusive com Travessias:
-O Cânion Bandeirinhas: segue-se a mesma trilha da Cachoeira da Farofa, mais 4 km para frente, se tiver tempo disponível, vale muito a pena. Fizemos esta trilha nas outras duas visitas anteriores.
-Estátua do Juquinha:  Construída num local privilegiado, de onde se tem uma interessante visão das montanhas da região. Com três metros de altura, a estátua foi construída em homenagem ao lendário Juquinha, andarilho que percorria a região da Serra do Cipó vendendo flores para os visitantes que freqüentavam a serra.
-Cachoeira das Andorinhas e do Gavião: Duas belíssimas cachoeiras. A Cachoeira do Gavião, que recebe este nome pelo desenho da serra que lembra a envergadura de um gavião. A cachoeira da Andorinha é abrigo de andorinhões.
-Trilhas dos Escravos: Localizada na Área de Proteção Ambiental (APA) Morro da Pedreira, a Trilha dos Escravos é um atrativo que leva ao topo da Cachoeira Véu da Noiva e sua respectiva nascente, denominada de Mãe D’água. Sua construção, como o próprio nome diz, foi feita pelos escravos para auxiliar o transporte das riquezas minerais adquiridas na Serra do Espinhaço durante o ciclo do ouro e diamante do século XVIII.
Cachoeira Grande: A Cachoeira tem uma queda de 10 metros de altura.
É cobrada uma taxa de visitação. Lá é possível realizar passeios de barcos, caiaques, locação de cavalos, rapel, tiroleza e bicicletas. Existe um restaurante com comida feita no fogão à lenha.
Quando passamos por lá, estava fechada para manutenção e obras.
Cachoeira Véu da Noiva: Localizada fora dos limites do Parque Nacional da Serra do Cipó, é um dos atrativos mais conhecidos da região e se encontra dentro da propriedade da ACM. Lembro que na nossa última visita, passamos por lá (não visitamos, só passamos) e o som alto e a bagunça que vinha do lugar nos desencorajou a visita…
Outras cachoeiras – Cachoeira do Tomé, Cachoeira da Braúna, Cachoeira do Riachinho, Cachoeira João Fernandes, Cachoeira do Tombador, Cachoeira do Caramba, Cachoeira da Farofa de Cima.
Momento gula total
Comemos muito bem e fartamente, no Restaurante Fogão de Lenha, que fica na R. Castanheira, 50. Pedimos três pratos duplos com frango, alcatra e costelinha de porco e todos acompanhavam salada, arroz, feijão tropeiro e fritas, por cerca de R$ 40,00. Não sabemos se foi a fome, o cansaço ou se estava bom mesmo, mas o estrago causado foi grande. E finalmente matamos a vontade de comer feijão tropeiro que nos assombrava desde nossa última viagem juntos, em Apiaí, que a Lizanda quis comer a iguaria e não encontramos lá….
            Duro foi terminar às 20:30 e seguir rumo à Conceição. Nossa vontade era puxar uma rede e ficar por lá mesmo… Nos perdemos muuuuito, mesmo com as indicações do Samuel da Pousada da Gameleira, à noite, cansadas (nós mulheres estávamos dirigindo desta vez), depois de uma noite mal dormida e caminhando o dia inteiro, foi difícil e acabamos conseguindo chegar por volta das 23:30 hs, só deu para tomar um banho e desmontar.
            No meio da noite ainda aconteceu um episódio inusitado, a Júlia acordou com um … gatinho observando-a na cama, e vamos nós dar um jeito de colocar o gato para fora, e não é que ele voltou à noite, de novo, só que desta vez ficou debaixo da cama da Lizanda. Pela manhã e durante o resto da estadia, nem sinal do gatinho… Achamos que foi um sinal de boas vindas pelo que ainda iríamos passar…

Para mais informações sobre a Serra do Cipó:

 

Mapas:

Sites de busca: Referências:
Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

5 Comments on “Serra do Cipó

  1. Gostei do preço: Três pratos duplos com todos acompanhamentos por R$ 40,00.
    Tá na hora de comprarem um bom 4×4, assim não ficam alugando “brinquedinhos” para fazer os passeios, heheheheh…
    Grande abraço, e parabéns pelas postagens e passeio.

    • Olá amigos!!!
      O preço, a qualidade e a quantidade da comida realmente foram aprovados!!! Não sobrou nada!!
      Pensamos bem esse começo de ano, e pesando os prós e contras (e principalmente nossos planos de viagem para esse ano e ano que vem), acabamos trocando de carro, mas por outro normal… Vamos ainda ter que encarar os brinquedos a cada viagem por mais um tempinho!!
      Um grande abraço!!!
      Marcia

  2. Muito legal o relato! Gostei mesmo foi do “marca texto”…deveriam ter dado desconto na diária.
    Parabéns por mais esta aventura e espero a 2ª parte do relato.
    Abs

    • Olá Pompeo!!
      Obrigada pela sua visita e comentário!
      Pelo menos havia uma vantagem: nunca precisávamos procurar o carro, ele sempre estava lá, fosforescente e enxergávamos de longe!!
      Um grande abraço!
      Marcia

  3. Pingback: Sugestões de destinos para suas férias | Os caminhantes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *