Santuário do Caraça

Santuário Nossa Senhora Mãe dos Homens

Conheci o  Santuário do Caraça em uma excursão com a Freeway, por volta de 1994~1995, e depois voltamos novamente, nós três, em julho de 2008.

Copiando do Site: …”O Santuário é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural, como Centro de Turismo, o Santuário do Caraça recebe, em média, 60.000 visitantes por ano, dos quais pelo menos 17.500 são hóspedes em sua Pousada.
Com trilhas para vários locais, desde cachoeiras, tanques e piscinas naturais e antigas construções até grutas e picos que só podem ser visitados com guias, o Santuário do Caraça oferece uma série de aventuras para cada visitante e para os grupos que sobem a Serra.
E, acima de tudo, em cada uma de suas caminhadas e das trilhas que podem ser percorridas, um espetáculo de natureza se descortina às vistas de todos os caminhantes, impelindo cada um a retomar sua própria vida e se harmonizar com a maravilha da Criação.
Como Centro de Peregrinação, o Santuário do Caraça mantém sua tradição espiritual, remontando ao Irmão Lourenço que aqui fundou uma casa para a conversão e para a mudança de vida. Estar no Caraça é continuar fazendo o que multidões fizeram no correr dos séculos: subir a Serra para um encontro com Deus”!…
O Santuário também faz parte da Estrada Real,  Circuito do Ouro, dentro do município de Santa Bárbara.
Interior do Santuário Nossa Sª Mãe dos Homens

 Como Chegar

Fica a 700 km de São Paulo, BR 381 até Belo Horizonte-MG, continua sentido Vitória-ES até o trevo da MG 436, para Barão de Cocais – Santa Bárbara – Caraça. Seguir pela MG 436 via Barão de Cocais. Antes da cidade de Santa Bárbara, virar à direita para o Caraça.
Ala do Carapuça- Pousada do Caraça

 Onde Ficar

Ficamos na Pousada do Caraça, quando fui com a excursão, fiquei na Ala do Santuário e depois, com a família, na Ala da Carapuça. Ambas são extremamente simples, com o básico que procuramos: uma cama limpa e um chuveiro quente no final do dia, bem parecido na verdade, e tudo a ver com a atmosfera de simplicidade e austeridade local.  Em 2008, em julho, estava muito, muuuito frio, e mesmo o chuveiro quente não esquentava muita coisa… O preço que consta no site, é de R$ 130,00 para uma pessoa e R$ 180,00 para duas, com direito a pensão completa, café da manhã, almoço e jantar.
As refeições ocorrem no Refeitório, com horários fixos. O destaque aqui, é o café da manhã, onde não fazíamos no refeitório, mas em um outro anexo, com um fogão a lenha bem rústico, e uma chapa de ferro, onde nós (e todos os outros hóspedes), assavam o pão, a mortadela e ovos, comendo quentinho, que já era um atrativo à parte.

As outras refeições eram servidas no refeitório, comida simples, mas caseira e saborosa

Centro Histórico

 O que fazer

Nosso foco principal, as trilhas, claro, mas além disso, a própria área do Santuário, no seu Centro Histórico, já é uma atração:

Depois que chegamos, ainda deu tempo de pegar o almoço e passamos a tarde, nos arredores

Calvário
Visitamos o Museu, com antigos objetos da escola, do claustro e ainda, as camas onde D. Pedro II e D. Teresa Cristina usaram em sua visita,  o Calvário, as Catacumbas, passeamos pelo Jardim, com direito a visita de esquilos (eu acho, ou algum animal da mesma espécie), a pedra do Imperador  e terminamos nosso dia com jantar, uma missa no Santuário Nossa Senhora Mãe dos Homens e a clássica espera pelo lobo-guará, que aparece quase toda noite, às vezes só, ás vezes acompanhado, para receber comida dos padres.
Jardins
Museu
No segundo dia, (agende antes) encontramos nosso guia, João Júlio, excelente guia, conhecedor não só da trilha, mas apresentando curiosidades e histórias do lugar, fauna, flora, muuuito paciente e atencioso, recomendamos muito!!!
Capelinha do Sagrado Coração de Jesus
Subimos o Pico do Carapuça. No site diz que a trilha têm cerca de 6 km de trilha, mas sinceramente, foi uma das subidas mais difíceis para mim e para a Júlia, na época com 9 anos, coitada…(de novo…). Passa primeiro pela Gruta de Lourdes e depois pela Capelinha do Sagrado Coração de Jesus. Pode realmente ter cerca de 6 km, mas a impressão e a dificuldade da subida, parece ter sei lá, uns 20 km, para mim!!!
A vista do Pico do Carapuça. Olha o Santuário lá em baixo!
 A recompensa são visões de tirar o fôlego (ou será que arfávamos de cansaço…), e clichê, mas a vista que se tem lá de cima é impressionante!  Um grande  “termômetro” de quanto subíamos é que o Santuário todo, lá de cima, fica bem pequeninhinho…
Descida tão sofrida quanto a subida…

Rotina a mesma: jantar, missa e a espera pelo lobo-guará.

Cascatinha
No dia seguinte, com as pernas mais doídas e duras da subida do dia anterior, passeios mais leves: a Cascatinha, o Banho do Imperador e o Tanque Grande.
Mais uma noite de descanso, e embora, rumo ao próximo ponto (e próximo post) Ouro Preto, antes passando num alambique de verdade, Cachaça Kanjerana, fica no bairro de Sumidouro, em Santa Bárbara, aprendendo o processo da destilação e comprando duas garrafas, claro!
Nossas impressões:
As trilhas, com vários graus de dificuldades agradam a todos os gostos e preparos físicos, e garantem visuais belos e em vários pontos, com a natureza ainda intocada, como gostamos bastante!!
Vale muito também a visita a parte do Centro Histórico. Agende antecipadamente, tanto a Pousada como os Guias, se quiser fazer uma trilha maior lá dentro.
Um lugar extremamente simples, parece até “proposital” para que aprendamos a valorizar o essencial, a beleza, a simplicidade e a quietude da natureza. Sem televisão, sem internet, sem luxo, sem glamour… Mesmo com a visível influência da Igreja Católica por toda a parte, desde a história da fundação do Colégio, até a missa diária, a presença dos padres aqui e ali, não é uma presença ostensiva, de forma alguma e a sensação de paz e acolhimento funciona também como um retiro espiritual (independente de suas crenças), apesar do grande número de visitantes anual segundo o site. Como fomos em 2008, talvez a frequência tenha aumentado agora…
Por que para crianças e adolescentes? Para crianças e adolescentes acostumados com grandes agitos em centros urbanos pode parecer uma chatice, mas  além de conhecer um pouco da história do país, ter contato com objetos antigos, no Museu, o local é bem diferente e proporciona momentos de simplicidade e quietude, além claro, de visuais belíssimos.
Visitando o site (vejam que usei praticamente só este para escrever o post, gostei bastante, muito completo), deu até uma vontade de voltar…
Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

2 Comments on “Santuário do Caraça

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *