Puerto Natales

Dia 10-08/01/11- sábado- Chileno- Hosteria Las Torres-Puerto Natales

Café da manhã, o mesmo que o anterior , mas sem o mingau de aveia e geléia no lugar de doce de leite.
Saída do acampamento por volta das 10:00 hs. Conforme o previsto no mapa do Parque, realmente a descida foi feita em 2 horas, considerando até que estávamos com carga, a descida foi muito tranqüila.
Legal foi ver também a comemoração de cada trilheiro que chegava, normalmente era recebido com uma salva de palmas por aqueles que estavam esperando o ônibus, e também a comemoração dos grupos que chegavam, comemorando o circuito W realizado, e nos parabenizamos, quietinhos, e principalmente, nossa filha valente.

Usamos o banheiro da Hosteria Las Torres e ficamos até com vergonha de pisar lá dentro, pois nossa ‘indumentária” , como diz meu sogro, sujo e fedido de 6 dias de trekking não combinava nadinha com aquele lugar chiquetê, mas foi um alento entrar em um banheiro limpo, depois de 6 dias, e foi a primeira vez que vimos um espelho, depois de muito tempo…

Esperamos o ônibus que sai às 14:00 hs de frente da Hosteria e que nos levou até a Guarderia Laguna Amarga, por CH 2.500,00 por pessoa. Como comentado nos mochileiros, realmente é um percurso de 7,5 km numa estradinha sem graça, e creia-me, depois de ter andado tanto e visto tanta coisa linda, vale a pena pegar o ônibus. Não precisa reservar, é só subir e pagar. Vimos um grupo de pessoas também esperando, mais na frente, perto da área do acampamento e o motorista comunicava via rádio, que haviam mais 15 pessoas aproximadamente, e entendi que mandariam um outro ônibus realmente, como eles haviam informado aos outros passageiros que não conseguiram embarcar neste.
Desembarcamos em Laguna Amarga 30 minutos depois, e o ônibus da Buses Gómez, que havíamos reservado, chegou logo em seguida. Apresentamos o voucher, pagamos as passagens (CH 8.000,00 por pessoa) e embarcamos rumo a Puerto Natales.
Paramos novamente na Cafeteria El Ovejero e nosso almoço foram 3 empanadas saídas do forno.

Chegamos a Puerto Natales por volta das 18:00 hs, no Nikkos II, que havíamos feito a reserva via internet, mas não havíamos pagado, junto com outros turistas que saltaram do ônibus, inclusive brasileiros. Aconteceu algum problema na reserva e fomos transferidos pelo mesmo valor do Nikkos II, ao Nikkos I. As instalações do Nikkos II, aparentemente, pois não pudemos entrar, são mais novas e melhores que sua matriz e percebemos que talvez o “problema” foi que deram preferência para aqueles que haviam feito e pago a reserva.
Em circunstâncias normais, iríamos estressar, afinal foi dito que poderíamos pagar na apresentação, e as instalações não eram lá, essas coisas, mas depois de 6 dias de acampamento, a Júlia e nós ansiávamos por dormir sob um teto, poder tomar um banho no tempo que cada um quisesse, sair no quarto quentinho, e não no vento e dormir numa cama, que não ligamos e achamos tudo ótimo.
Interessante como dependendo do momento e das circustâncias, nossos valores são relativos…São mais um dos aprendizados que temos viajando…

Lá fomos nós, bater perna na cidade e arrumar as passagens de ônibus para Punta Arenas para o dia seguinte e a volta de Punta Arenas para Puerto Natales e depois para El Calafate, para o dia 11/01. Conseguimos na Buses Fernandes um ônibus para Punta Arenas às 10:00 hs no dia seguinte e no mesmo horário a volta para Natales. (CH 4.000,00 por pessoa cada trecho).Numa agência perto, a Carfran, conseguimos a volta para El Calafate somente para às 18:00 hs. (CH 12.000,00 por pessoa).
A cidade é pequenininha, cerca de 20.000 habitantes apenas, e é a porta de entrada para o Parque Nacional Torres Del Paine, e se movimenta em torno praticamente do turismo. Não é uma cidadezinha “bonitinha” como El Calafate, mas tem uma característica mais rústica,mas mais autêntica, com suas casinhas de madeira simples.
Em Puerto Natales, existem várias empresas de ônibus, Buses Fernandez, Zaahj, Cootra, Pacheco e Buses Sur, espalhadas pelo centro, com horários diversos. Somente depois de agendado estes horários é que descobri num guia que compramos da Lonely Planet, que existiam ônibus direto de Punta Arenas para El Calafate pela Bus Sur.

Comemos um hambúrguer do Masay Pizzas, Manuel Bulnes, 427, indicado pela moça da lavanderia que fica ao lado do restaurante Picada de Carlitos (CH 1.500,00 o kg da roupa, o melhor preço que encontramos), e o hambúrguer é conforme a Júlia disse tamanho Man X Food, (um programa besta que assistimos de vez em quando), enooorme, mas uma delícia, e impossível de comer praticamente um inteiro sozinho. Só tomem cuidado com o catchup, que é picante demais (aliás, acho que trocamos o frasquinho e na verdade era pimenta mesmo!!! Hahahha!). Pagamos CH 13.500,00 os 3 hambúrguers mais 3 refrigerantes.
Voltamos ao hostel e dormimos divinamente, numa cama, quentinhos, depois de 6 dias de acampamento.

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

2 Comments on “Puerto Natales

  1. Legal! Achei o máximo a comemoração das pessoas que chegavam ao ponto de ônibus… Realmente é uma vitória… Parabéns pra vcs e claro, mais ainda para a Júlia!
    Bjs e Boas Viagens!

  2. Oi amiga!
    Obrigada pelo comentário e realmente sentimos, como vc falou, com todas as dores nas pernas, nas costas e mortos de cansaço um gosto de vitória! A Júlia agradece a parabenização!
    Bjos!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *