Joanópolis

Vivenciamos um Natal diferente neste último ano e confesso que foi muito tranquilo, sem horários, sem formalidades, sem rigidez, todos fazendo o que e quando quisessem, só importando que estávamos juntos, desfrutando a companhia um dos outros.Este não é o verdadeiro espírito do Natal? Afinal, como diz o Ogromor, Natal não é um dia só, você faz ser Natal todos os dias do ano, se assim se propor. Fomos para Joanópolis, e completamente diferente das nossas experiências, dividimos uma casa com minha família e todos os agregados, lógico.

     Como não poderia deixar de ser, saímos para conhecer os arredores e conto aqui um pouquinho do que pudemos ver. Ficamos numa casa na beira da represa, então como não poderia deixar de ser,  só ela já é uma atração à parte, e muitas das atrações locais, exploram a represa, como os esportes aquáticos, pesca (para o delírio do meu pai) e passeios de barco. Existem várias Marinas ao redor da represa,com vários tipos de estruturas e acomodações.
Ficamos perto da Pousada Monteleone http://www.pousadamonteleone.com.br/ ,  e nas nossas caminhadas diárias, eu e o Ogromor visitamos a Pousada para conhecer melhor. Estivemos em Joanópolis uma vez, por volta de 2004, mas ficamos numa pousada no centro da cidade e choveu tanto, tanto, que a gente quase não aproveitou. Nesta época, já havíamos ouvido falar da Pousada, mas não fomos visitar. A funcionária da Pousada foi muito gentil, nos mostrou toda a estrutura do lugar, que também fica margeando a represa, os chalés são muito aconchegantes, eles têm diversas atividades, mas o que nos chamou a atenção foi o Spa, que parece bem legal. Eles programam quando seria a próxima temporada e divulgam no site, como pude ver.
        No dia seguinte, fomos conhecer os arredores, com o Adriano, um moço que deu várias informações quando eu liguei para a Secretaria de Turismo, e mesmo ele insistindo que não era guia de turismo, combinamos dele nos levar a algumas atrações, considerando sua formação em turismo e porque ele se mostrou extremamente simpático, e porque conhecia a região. Como estava nublado, não  conseguimos subir uma das principais atrações,o Pico do Selado. Vai ficar para uma próxima.  Conhecemos a Cachoeira dos Pretos, uma queda de 150 metros, muito bonita, mas para visitá-la, caro caminhante, decepção total. Bom pelo menos para nós. Sabe aquela coisa, hordas de gente chegando, estacionamento parecendo de shopping, restaurantes cheios, obviamente, calçamento até quase a borda da cachoeira. Horror total!! Saímos correndo de lá.
         Visitamos uma quedinha que muito pouca gente deve conhecer, só o pessoal local, como o Adriano comentou e depois, na parte de cima,da Cachoeira dos Pretos, a Cachoeira da Iponina, que pastamos para conseguir achar, não tinha indicação nenhuma, mas esta lavou nossa alma de conhecer  um lugar selvagem. Nem nosso guia havia conhecido este local antes.
           Acabamos  não conhecendo os atrativos da gula de Joanópolis, pois aproveitamos a comida de mãe, que é sempre bem vinda e nos faz sentir literalmente em casa, não é mesmo?
           Bom, é isso, um lugar bem pertinho de São Paulo, e uma dica para variar do programa shopping com a família, para passar um final de semana diferente.
Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

2 Comments on “Joanópolis

  1. Pingback: Sugestões de destinos para fazer de carro - Os caminhantes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *